Frei Luís de Sousa (eBook)

avaliação dos leitores (8 comentários)
(8 comentários)
Formatos disponíveis
2,99€ I
-10%
COMPRAR
-10%
2,99€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Disponibilidade Imediata

SINOPSE

Drama representado pela primeira vez em 1843, publicado em 1844, é considerado a obra-prima do teatro romântico e uma das obras-primas da literatura portuguesa.

O enredo, inspirado na vida do escritor seiscentista Frei Luís de Sousa, de seu nome secular D. Manuel de Sousa Coutinho, tem como pano de fundo a resistência à dominação filipina.

Na célebre memória "Ao Conservatório Real" que acompanha a peça, Garrett critica o modo como na sua época se pretende fazer o drama, com um excesso de violência e de imoralidade, e alega ter desejado "excitar fortemente o terror e a piedade", usando de contenção e simplicidade.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Leitura muito interessante
Maria Silva | 2020-10-08
Esta é, provavelmente, a obra de Garrett que mais gostei. Apesar de ser religiosa e de 'raspar' no sebastianismo, esta obra foi de fácil leitura e com uma história envolvente. Apesar de já esperar aquele final numa obra dramática daquele tempo, gostei bastante de como se idealizou.
Clássico de Garrett
Ana Dias | 2017-09-04
Um clássico que faz parte do programa do 11º ano! Uma oportunidade de "recordar" uma obra incontornável do autor.

DETALHES DO PRODUTO

Frei Luís de Sousa (eBook)
ISBN: 978-972-0-68021-1
Edição/reimpressão: 04-2011
Editor: Porto Editora
Código: 68021
Idioma: Português
Páginas: 120
Tipo de Produto: eBook
Classificação Temática: eBooks > eBooks em Português > Arte > Artes de Palco
Nascido no Porto, a 4 de fevereiro de 1799, João Baptista da Silva Leitão de Almeida Garrett foi um dos escritores mais completos no panorama das letras portuguesas. Formado em Leis pela Universidade de Coimbra, apoia, no último ano do curso, a causa da revolução liberal de 1820, exilando-se consequentemente em Inglaterra e França. Neste seu afastamento, publica os dois títulos fundadores do Romantismo português: Camões (1825) e D. Branca (1826). No entanto, é depois do regresso definitivo a Portugal, em 1836, que se mostra mais profícuo, escrevendo um conjunto de obras, das quais se destacam a peça trágica Frei Luís de Sousa (1843), as inclassificáveis Viagens na Minha Terra (1846), ou os ousados versos de Folhas Caídas (1853). Aliado ao escritor está ainda Garrett, o homem cívico, que contribui para a redação da Constituição de 1838, funda o Conservatório de Arte Dramática e encabeça o projeto de edificação do Teatro Nacional D. Maria II. Almeida Garrett morre em Lisboa, a 9 de dezembro de 1854.
Ver Mais