Antropologia da Exclusão ou o Exílio da Condição Humana

avaliação dos leitores (3 comentários)
(3 comentários)
ISBN: 978-972-0-34861-6
Edição/reimpressão: 03-2013
Editor: Porto Editora
Código: 34861
ver detalhes do produto
15,50€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
15,50€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Esgotado ou não disponível
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

Este livro pretende ser um ensaio sobre a necessidade de, em educação e no trabalho social, se adotar uma mudança estratégica de paradigma relativamente àqueles que devem ser os objetivos de qualquer projeto que vise a formação ou o apoio a pessoas, seja a crianças e jovens ao longo da sua vida nas escolas, seja a pessoas em situação de rutura iminente ou já de exclusãoconsumada. Trata-se, em qualquer dos casos, de perceber que a realização de itinerários de vida, ou a sua reorganização, passa pela capacidade de lidar com riscos, indefinições, mutações, flutuações, etc., que pouco terão a ver com a rigidez de princípios abstratos, a solidez de práticas estáveis ou a segurança de comportamentos que passem pelo conforto da mediania. C’est la marge qui tient la page ("É a margem que segura a página"), eis a frase que um dia Jean-Luc Goddard escreveu e que Philippe Meirieu usou precisamente para ilustrar a importância que as condutas escolares consideradas desobedientes, portanto na margem da educação, podem ter para o entendimento e desenho das intervenções educativas…
Eis o pensamento que ousámos acolher para inspirar as reflexões que constituem o cerne do presente trabalho.


Coleção Educação e Trabalho Social

Esta coleção, dirigida pelo Prof. Dr. Adalberto Dias de Carvalho, proporciona ao vasto espetro de pessoas e instituições direta ou indiretamente implicadas na formação e no exercício de funções sociais e educativas, um importante conjunto de obras de referência.

Abrange-se assim a transdisciplinaridade e a complexidade de uma área decisiva de saberes e de práticas que requer um cuidado esforço de fundamentação de conceitos e de estratégias de intervenção.

Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Para curiosos
Natália Domingues | 2018-04-02
Para os curiosos que se dedicam a saber mais sobre a sociedade. Imperdível
Sem vendas nos olhos
Dinael Corrêa de Campos | 2016-02-05
é assim que me sinto após o término da obra. Mais do que recomendável para quem estuda, investiga ou lida com a área social, Carvalho nos expõe a real condição humana. Imperdível.

DETALHES DO PRODUTO

Antropologia da Exclusão ou o Exílio da Condição Humana
ISBN: 978-972-0-34861-6
Edição/reimpressão: 03-2013
Editor: Porto Editora
Código: 34861
Idioma: Português
Dimensões: 168 x 245 x 11 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 176
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Ciências Sociais e Humanas > Antropologia
É professor Coordenador Principal do ISCET, onde exerce as funções de Diretor e de Presidente do Conselho Técnico-Científico, lecionando no Mestrado de Turismo e Desenvolvimento de Negócios. É investigador integrado do research group Philosophy and Public Space do Instituto de Filosofia da Univ. do Porto, instituição onde foi professor catedrático. Tem um doutoramento em Filosofia pela Univ. do Porto e um doutoramento em Turismo pela Univ. de Girona. Professor convidado de universidades estrangeiras, membro de várias sociedades científicas internacionais, é ainda autor de uma vasta e diversificada obra científica no âmbito das suas preocupações transdisciplinares de natureza antropológica, hermenêutica, epistemológica e pedagógica.
Ver Mais

DO MESMO AUTOR

Em Stock

Educação Social

Fundamentos e estratégias

de Adalberto Dias de Carvalho, Isabel Baptista

14,00€

Portes Grátis

Em Stock

A Educação e os Limites dos Direitos Humanos

Ensaios de Filosofia da Educação

de Adalberto Dias de Carvalho

18,50€

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK