A ridícula ideia de não voltar a ver-te

avaliação dos leitores (10 comentários)
(10 comentários)
ISBN: 978-972-0-04712-0
Edição/reimpressão: 05-2021
Editor: Porto Editora
Código: 04712
ver detalhes do produto
18,80€ I
16,92€ I
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
18,80€ I
16,92€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO IMEDIATO
I EM STOCK
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

Quando Rosa Montero leu o diário que Marie Curie começou a escrever depois da morte do marido, sentiu que a história dessa mulher fascinante era também, de certo modo, a sua. Assim nasceu A ridícula ideia de não voltar a ver-te: uma narrativa a meio caminho entre a memória pessoal da autora e as memórias coletivas, ao mesmo tempo análise da nossa época e evocação de um percurso íntimo doloroso.

São páginas que falam da superação da dor, das relações entre homens e mulheres, do esplendor do sexo, da morte e da vida, da ciência e da ignorância, da força salvadora da literatura e da sabedoria dos que aprendem a gozar a existência em plenitude.

Um livro libérrimo e original, que nos devolve, inteira, a Rosa Montero de A Louca da Casa - talvez o mais famoso dos seus livros.
Ver Mais

CRÍTICAS DE IMPRENSA

Ao perceber os perigos de um embate com Marie Curie, Rosa Montero soube abrir a porta a uma intimidade que não sendo exposta pode ser intuída. E complementada com a experiência do leitor.
Jornal de Letras
E só ao lê-lo de seguida, em anexo, compreendemos todo o seu poder radioativo. Um poder que se infiltra no livro inteiro e o contamina, conferindo lhe um particular fulgor.
Expresso

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Soberbo!
SC | 2022-02-05
Um romance ousado que é um misto de biografia e livro de recordações. Rosa Montero, a autora, usa as semelhanças de sua própria vida para ligá-las às da famosa cientista Marie Curie, mulher à frente do seu tempo, que todos conhecem pelas suas descobertas científicas, mas de quem talvez não se conheça toda a história. Graças a este jogo de semelhanças, exemplos e conjunto de imagens, conseguimos compreender um pouco mais sobre esta pioneira, para além dos laboratórios e da radiação. Ao longo das páginas, este livro tenta mostrar que, embora Marie fosse extraordinária e parecesse um pouco fria, ela era uma mulher muito apaixonada, que tinha dois grandes amores: a ciência e Pierre Curie, o seu marido. Ele morreu jovem, por causa da radiação com a qual trabalharam, o que foi um golpe muito duro para Marie. Por outro lado, também foi difícil para Rosa Montero, que também perdeu muito cedo o seu parceiro de vida devido a um cancro. A partir dessa dor, a autora fala sobre perda, luto e superação, coisas muitas vezes tidas como certas, mas sobre as quais ninguém quer falar em profundidade. E é neste paralelo que muitos ousam criticar a autora de narcisismo, por se querer "comparar" a Marie Curie quando não é, de longe, esse o objectivo. Uma obra que é também um grito feminista. Em geral, cada vez que se fala em Marie Curie, é para elogiá-la como exemplo, como uma pessoa que lutou para romper num campo de homens. No entanto, aqui Rosa Montero tenta ir mais longe. Marie era uma lutadora, uma pessoa que sempre fazia o que considerava certo, sem prestar atenção ao seu género. É precisamente isso que procuramos agora: não ser silenciados, cumprir os nossos objectivos e não nos obstaculizarmos. Mas, como bem exprime a autora, embora muitos anos tenham se passado, infelizmente e apesar de alguns avanços, ainda temos muito que mudar. Um livro que é uma viagem de emoções, que não só explora a vida de uma grande cientista, mas também nos faz refletir sobre as nossas emoções e a sociedade que queremos construir. Em suma, este é um livro que não deixa ninguém indiferente. Adorei!
Os outros e eu
Isabel castro | 2020-06-03
O comportamento humano é algo que me fascina e a morte é algo que sempre me aterrorizou, talvez por ter perdido a minha mãe com quase (só) 12 anos. Mas ao longo dos anos e das experiências fui aprendendo que a morte não nos vem buscar por ter levado alguém que amamos. O sofrimento é muito, intenso, mas olhamos em volta, conversamos, trocamos vivências e concluímos que havemos de superar, o tempo há-de ajudar, por muito que não se esqueça nunca!Ás vezes senta-mo-nos, embalamos as nossas memórias, e os sorrisos aparecem por entre lágrimas!

DETALHES DO PRODUTO

A ridícula ideia de não voltar a ver-te
ISBN: 978-972-0-04712-0
Edição/reimpressão: 05-2021
Editor: Porto Editora
Código: 04712
Idioma: Português
Dimensões: 154 x 241 x 16 mm
Encadernação: Capa integral
Páginas: 176
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Literatura > Outras Formas Literárias

sobre Rosa Montero

Rosa Montero nasceu em Madrid em 1951. Como jornalista, colabora em exclusivo com o jornal El País, tendo obtido, em 1980, o Prémio Nacional de Jornalismo e, em 2005, o Prémio da Associação da Imprensa de Madrid, por toda a sua vida profissional. Com A Louca da Casa recebeu o Prémio Grinzane Cavour de literatura estrangeira e o Prémio Qué Leer para o melhor livro espanhol, distinção que também foi atribuída, em 2006, a História do Rei Transparente. A Ridícula Ideia de Não Voltar a Ver-te viria a ganhar o Prémio da Crítica de Madrid 2014.

Recebeu, já em 2017, e pelo conjunto da sua obra, o Prémio Nacional das Letras Espanholas, galardão que o júri fundamentou com a «sua longa trajetória no romance, jornalismo e ensaio».
Para saber mais, visite o site da autora: www.rosamontero.es.

Ver Mais

DO MESMO AUTOR

Portes Grátis

Em Stock

A Boa Sorte

de Rosa Montero

14,94€

16,60€

Portes Grátis

Em Stock

Os Tempos do Ódio

de Rosa Montero

14,16€

17,70€

Portes Grátis

Em Stock

A Carne

de Rosa Montero

16,60€

Portes Grátis

Em Stock

O peso do coração

de Rosa Montero

16,60€

Ver mais títulos deste autor

Conheça as nossas novidades

Seja o primeiro a conhecer os livros que acabaram de chegar, notícias sobre autores, conteúdo exclusivo e muito mais!

Conheça as nossas novidades

Seja o primeiro a conhecer os livros que acabaram de chegar, notícias sobre autores, conteúdo exclusivo e muito mais!