2020-05-28

Poesia Completa de Maria Alberta Menéres reunida num único volume

Porto Editora publica edição de referência que inclui todos os livros de poesia da autora.

Partilhar:

Poesia Completa é o mais fiel do títulos, no sentido em que abarca todos os livros de poesia publicados por Maria Alberta Menéres, desde 1952 a 1996. A edição deste livro estava prevista para assinalar o primeiro aniversário da morte da autora, a 15 de abril passado, mas devido às circunstâncias que, entretanto, afetaram o mercado editorial, só agora chega às mãos dos leitores. O livro estará disponível nas livrarias a 4 de junho.


Publicam-se, assim, pela primeira vez num único volume, não só os seus livros de poemas Intervalo, Cântico de Barro, A Palavra Impercetível, Água-Memória, O Robot Sensível, A Pegada do Yeti, Os Mosquitos de Suburna e O Jogo dos Silêncios, como ainda textos e poemas dispersos. Abarcando mais de 280 poemas, dos quais dois absolutamente inéditos, este livro revela ainda um poema visual, um ensaio sobre poesia e um conto fantástico escrito em 1967, aqui incluído dada a sua natureza poética.

As características mais marcantes de toda a imagística da poesia da Maria Alberta Menéres são «talvez o espanto e o insólito, mas também a liberdade e a solidão sempre presentes no subsolo do seu caminho poético», explica-se no posfácio da obra assinado por E. M. de Melo e Castro. «Em todos estes títulos está escondida uma quase contradição na qual a sua autora ambiguamente projecta o seu estar na poesia e o espanto que ver o mundo e ver-se nele a si própria lhe provoca», lê-se mais adiante.

SOBRE O LIVRO

PRÓLOGO
Ninguém pode saber o que sofremos
quando apenas calamos
somos o livro que nós próprios lemos,
e desfolhamos


SOBRE A AUTORA

Maria Alberta Menéres nasceu em Vila Nova de Gaia, em 25 de agosto de 1930. Licenciada em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, foi professora do Ensino Técnico, Preparatório e Secundário, nas disciplinas de Língua Portuguesa e História. Organizou a Antologia da Poesia Moderna Portuguesa (1940/1967), em 1976, e, dois anos mais tarde, a Novíssima Antologia da Moderna Poesia Portuguesa, em parceria com o poeta E. M. de Melo e Castro.

De 1974 a 1986, foi Diretora do Departamento de Programas Infantis e Juvenis da RTP, tendo sido autora e produtora de inúmeros programas. Foi Assessora do Provedor de Justiça, de 1993 a 1998, sendo da sua responsabilidade as primeiras linhas de apoio a crianças e idosos em Portugal. Criadora do conceito e responsável pelo nome do "Pirilampo Mágico", foi autora, durante seis anos, das letras das canções dessa campanha solidária que dura até hoje.

Maria Alberta Menéres é autora de mais de 100 livros infantis e juvenis, muitos publicados pelo Grupo Porto Editora, com merecido destaque para Ulisses, que conta já com 45 edições e mais de um milhão de exemplares vendidos. Fez traduções, adaptações, dezenas de peças de teatro, para além de uma sólida obra de poesia adulta. Em 1986 recebeu o Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças, «pelo conjunto da sua obra literária e a manutenção de um alto nível de qualidade». Em 2010, foi agraciada com a Condecoração da Ordem de Mérito Civil no grau de Comendador.

Faleceu em Lisboa, a 15 de abril de 2019, com 88 anos de idade.
 

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK