Persistência da Obra

Persistência da Obra

Arte e Política

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
ISBN: 978-972-37-1626-9
Edição/reimpressão: 12-2011
Editor: Assírio & Alvim
Código: 79278
ver detalhes do produto
12,00€ I
-10%
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
EM
STOCK
12,00€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I EM STOCK

CRÍTICAS DE IMPRENSA

«À partida, uma simples constatação — de contornos burlescos: chegámos ao estado final (consumado) do bourgeois gentilhomme. Quer dizer: do burguês que comprava tudo para ser — aparentar ser—um nobre.
A comédie-ballet homónima de Molière (e Lully) assinalava, com uma graça inexcedível, uma fractura histórica: entre o mecenato e o saber, isto é, para o que nos ocupa, entre o poder financeiro e o juízo de gosto. Mas hoje há uma diferença — a diferença que nos situa no final de um processo histórico: o poder financeiro tende a apagar a linha de separação, não já entre o bom e o mau gosto (fronteira que Monsieur Jourdain encarnava),mas entre a obra e os produtos que saturam o mercado cultural. E isto significa, simplesmente, que o niilismo já não afecta somente aquele que exercia (ou exerce) o juízo de gosto: ele foi totalmente interiorizado por aquele que cria—ou aparenta criar. Na ausência de um princípio objectivo que distinguisse a obra, abriu-se objectivamente o espaço para o aparecimento de um sujeito que não distingue nada de nada—e para o qual tudo é válido e tudo vale.»
Tomás Maia
«[…] distinguir a arte da pseudo-arte também já não pode ser um assunto de gosto: é uma tarefa ética — a qual, aliás, não diz respeito primeiramente, e ainda menos exclusivamente, aos artistas. Daí a existência deste pequeno livro. Ele procede de uma questão endereçada a alguns autores sobre a persistência da arte no regime político actual, isto é, no capitalismo financeiro mundial — questão que pressupunha, por conseguinte, repensar a relação entre a arte e a política.»
Tomás Maia

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Persistência da Obra
pjfserra | 2018-01-26
Livro indicado para quem se interessa pelas questões filosóficas da arte.

DETALHES DO PRODUTO

Persistência da Obra
ISBN: 978-972-37-1626-9
Edição/reimpressão: 12-2011
Editor: Assírio & Alvim
Código: 79278
Idioma: Português
Dimensões: 170 x 209 x 12 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 128
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Arte > Estilos e Influências

sobre Tomás Maia

Licenciatura em Artes Plásticas – Pintura pela Escola Superior de Belas-Artes de Lisboa (1991); D.E.A. (Diplome d’Études Approfondies) no Centro de História e Teoria da Arte da École des Hautes Études en Sciences Sociales Paris (1993) (equivalência ao grau de Mestre atribuído pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, em Julho de 2002); Doutoramento em Filosofia de Arte na Université Marc Bloch – Strasbourg (2004).

Em França, na qualidade de bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, do Centro Nacional de Cultura e da Fundação para a Ciência e a Tecnologia, foi aluno de Louis Marin, de Jean-Luc Nancy e de Philippe Lacoue-Labarthe. Publicou a obra Assombra. Ensaio Sobre a Origem da Imagem, livro com fotogramas de Marta Maranha e Diogo Saldanha (Lisboa, Assírio & Alvim, 2009). Desde 2004, retomou a sua atividade artística. O seu trabalho com André Maranha – Scena (para duas vozes) – foi apresentado em Lisboa (2008) e em Lucca (Itália, 2009). Em 2012 os dois autores publicaram em conjunto as obras Éden – O filme desta terra e Scena (para duas vozes).
Ver Mais