O Alienista

O Alienista

Machado de Assis
avaliação dos leitores (6 comentários)
(6 comentários)
ISBN:978-972-0-72694-0
Edição/reimpressão:10-2017
Editor:Porto Editora
Código:72694
Coleção:Educação Literária
ver detalhes do produto
8,80€I
-10%
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
EM
STOCK
8,80€I
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEm stock - Envio 24H

SINOPSE

Plano Nacional de Leitura
Leitura recomendada para o 9.º ano de escolaridade.

Quando o Dr. Simão Bacamarte, médico psiquiatra, homem da ciência, constrói um asilo em Itaguaí, nada faria prever os acontecimentos que lhe sucederam. "Eram furiosos, eram mansos, eram monomaníacos, era toda a família dos deserdados do espírito." Mas quem eram, afinal, os loucos? Neste conhecido conto da literatura brasileira, Machado de Assis reflete sobre a fronteira entre a sanidade e a loucura, ao mesmo tempo que constrói um retrato crítico da sociedade da época.

Conheça todas as obras da Educação Literária na nossa página especial.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Muito bom.
Hugo Oliveira |2019-06-06
Nesta sociedade global e imediatista onde vivemos, seja numa aldeia, seja numa grande metrópole, seremos todos sãos? Ou existe loucura em cada um de nós? Com quais parâmetros se pode fazer a separação? Machado de Assis proporciona-nos uma leitura divertida que nos põe a pensar sobre a condição da alma humana, as suas fraquezas, os seus devaneios e o quanto tudo isso pode ser sadio.
Gostei
Vasco |2018-04-07
Um livro interessante que realça a diferença entre a normalidade e a loucura. Excelentes ilustrações. Recomendo!

DETALHES DO PRODUTO

O Alienista
de Machado de Assis
ISBN:978-972-0-72694-0
Edição/reimpressão:10-2017
Editor:Porto Editora
Código:72694
Coleção:Educação Literária
Idioma:Português
Dimensões:128 x 198 x 8 mm
Encadernação:Capa mole
Páginas:112
Tipo de Produto:Livro

de Machado de Assis

Machado de Assis
Machado de Assis é filho de pai mulato carioca e mãe açoriana. O escritor brasileiro nasceu no Rio de Janeiro em 1839 e morreu em 1908. Autodidata e ambicioso, tornou-se um clássico da língua portuguesa. Os primeiros poemas foram publicados na imprensa, seguindo-se-lhes crónicas, contos, romances e ensaios críticos. O seu primeiro livro de poesias, Crisálidas, foi publicado em 1864 e o seu primeiro romance, Ressurreição, em 1872. Iniciando a sua atividade literária em pleno Romantismo, tornou-se o autor mais importante da nova estética do Realismo e foi ainda contemporâneo do Parnasianismo e do Simbolismo. Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881) corresponde à fase do Realismo psicológico, em que o autor vai mostrar a ambiguidade fundamental do ser humano, a incapacidade humana de conhecimento do real, substituindo-o, assim, por uma mistificação. Esta demonstração é muito mais subtil do que a análise dos meros mecanismos hereditários e sociais próprios do Naturalismo. Quincas Borba (1891), Dom Casmurro (1899), Esaú e Jacob (1904) e Memorial de Aires (1908), são as obras-primas deste período. Por elas perpassa uma trágica ironia a par com uma visão sem ilusões da sociedade urbana carioca.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK