História Breve da Lua

avaliação dos leitores (7 comentários)
(7 comentários)
ISBN: 978-972-0-72707-7
Edição/reimpressão: 10-2019
Editor: Porto Editora
Código: 72707
ver detalhes do produto
11,00€ I
8,80€ I
-20%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-20%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
11,00€ I
8,80€ I
COMPRAR
I 20% DE DESCONTO IMEDIATO
I Em stock - Envio 24H
I PORTES GRÁTIS

SINOPSE

Plano Nacional de Leitura
Leitura recomendada para o 8.° ano de escolaridade.

Vou contar-vos uma história
que espero que vos agrade.


Diz essa história que outrora
a superfície da Lua
não era como é agora…


Descobre a história (breve) da Lua, nesta divertida peça escrita em verso, com um toque sublime de imaginação.

A coleção Educação Literária reúne obras de leitura obrigatória e recomendada no Ensino Básico e Ensino Secundário e referenciadas no Plano Nacional de Leitura.

Conheça todas as obras da Educação Literária na nossa página especial. Conheça todas as obras da Educação Literária na nossa página especial.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Gostei do livro
Vp | 2019-06-10
Um livro que explica de uma forma simples e engraçada as características da Lua.
Muito bom
Paula Sousa | 2017-06-02
Muito bem escrito, de rápida leitura, muito leve e com um grafismo muito agradável.

DETALHES DO PRODUTO

História Breve da Lua
ISBN: 978-972-0-72707-7
Edição/reimpressão: 10-2019
Editor: Porto Editora
Código: 72707
Idioma: Português
Dimensões: 130 x 198 x 6 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 64
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Ensino > Apoio Escolar > Livros em Português > Leituras Orientadas > Infantis e Juvenis > Literatura Juvenil
Rómulo Vasco da Gama Carvalho nasceu em Lisboa em 1906 e faleceu na mesma cidade, em 1997.
Poeta, autor dramático, cientista e historiador, formado em Ciências Físico-Químicas pela Universidade do Porto. Com o seu nome próprio, Rómulo de Carvalho é autor de numerosos volumes de divulgação da cultura científica, publicados, nos anos 50 e 60, na colecção "Ciência para gente nova", da Atlântida nos anos 70, nos "Cadernos de iniciação científica", da Sá da Costa, a que seguiriam nas décadas posteriores vários manuais escolares. Ainda neste domínio, desenvolveu trabalhos de investigação sobre a história da ciência em Portugal. Como poeta, sob o pseudónimo de António Gedeão, é contemporâneo da geração de "Presença", mas só se revelou na segunda metade do século, sendo saudado, no momento da sua revelação, por David Mourão-Ferreira como uma voz "inteiramente nova" no panorama poético dos anos 50 (cf. Vinte Poetas Contemporâneos , 2.a ed., Lisboa, Ática, 1980, pp. 149-153). Para essa originalidade concorriam, entre outros traços, a incorporação das tradições do primeiro e segundo modernismos, a opção por um estilo rigorosamente cadenciado e ritmado, a expressão da inquietação e angústia colectivas do Homem do pós-guerra ou o recurso frequente a uma terminologia ou imagística provenientes do domínio científico. Jorge de Sena (cf. estudo introdutório à segunda edição de Poesias Completas , Lisboa, Portugália, 1968) e Fernando J. B. Martinho (cf. Tendências Dominantes da Poesia Portuguesa da Década de 50 , Lisboa, Colibri, 1996, pp. 428-433) assinalam na poesia de António Gedeão a recorrência de dispositivos retóricos que permitem considerar no âmbito de um neobarroquismo a poesia do autor de Movimento Perpétuo.
Vários dos seus poemas foram também divulgados através da música, como, por exemplo, Calçada de Carriche, Fala do Homem Nascido, Lágrima de Preta e Pedra Filosofal , tendo este último, composto e cantado por Manuel Freire, obtido um sucesso invulgar.
Ver Mais

DO MESMO AUTOR

Portes Grátis

Em Stock

História Breve da Lua

9-12 anos

de António Gedeão

10,64€

13,30€

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK