Elegias

Elegias

ISBN: 978-972-37-0299-6
Edição/reimpressão: 04-2000
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78272
ver detalhes do produto
11,00€ I
-10%
COMPRAR
-10%
11,00€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I Esgotado ou não disponível.

SINOPSE

Nestas Elegias, Hölderlin manifesta a simpatia que nutria pela cultura classicista, cujos valores estéticos gostava de cultivar na sua poesia. Assim, escritas em verso, os temas destas Elegias estão, regra geral, relacionados com o culto do belo e/ou a mitologia clássica de origem pagã. Partindo de cenários extraordinários (como o amor de dois deuses), mas também de situações mais frequentes (como o regresso a casa dos pais, ou um passeio pelo campo), o autor constrói quadros idílicos. Um livro de deslumbramento, de culto do belo, de trabalho da luz e de apelo à Natureza.
Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

Elegias
ISBN: 978-972-37-0299-6
Edição/reimpressão: 04-2000
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78272
Idioma: Português
Dimensões: 146 x 206 x 12 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 128
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Literatura > Poesia

sobre os autores

Maria Teresa Dias Furtado é Professora Associada da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Concluiu a Licenciatura em Filologia Germânica com uma tese sobre Paul Celan e doutorou-se em Literatura Alemã com uma dissertação sobre Hölderlin. Lecionou Literatura Alemã e Tradução Literária do Alemão. Tem publicado artigos da sua especialidade, bem como sobre Poesia Portuguesa Contemporânea. Deu à estampa várias traduções de algumas obras de Hölderlin e Rilke, acompanhadas de prefácios de sua autoria. Publicou em 2002 um diálogo poético com António Ramos Rosa intitulado O Alvor do Mundo, em 2007 a coletânea de poesia Livro de Ritmos, em 2012, o livro de poemas O Arco do Tempo, e em 2014, o livro de poemas ilustrado por José Assis Idades, Para uma Antropologia Poética. Ainda nesse ano publicou No Rendilhado da Espuma, Cantares Mouriscos, Os Meninos sem medo e o morcego (infantil) e Livro de Rostos (poesia). Em 2016 publicou Neste Sopro que me Tece (Poéticas da Pintura, em diálogo com a Exposição poética edições|NOVIDADE "Sacrifício e Seda", da pintora Ana Peres de Sousa); com esta última, desta vez enquanto coautora e ilustradora, publicou o livro para crianças Na Floresta com a Victória, em 2018, bem como Demanda do Poético no Retábulo da Igreja Matriz de Freixo de Espada à Cinta, (poesia), com Prefácio de Vítor Serrão e Posfácio de Jorge Duarte. Em abril de 2019 publicou pela Poética Edições Onde o Poeta mora, reeditado depois num volume conjunto sob o título Onde o Poeta mora seguido de Tradução do Silêncio, e já em 2020, também pela Poética, A arte do silêncio à luz de Daniel Faria, Paul Celan e Hölderlin e Rainer Maria Rilke, Poemas e canções.
Ver Mais
Johann Christian Friedrich Hölderlin nasceu em Lauffen, na Alemanha, a 10 de Março de 1770. Um dos maiores poetas românticos da língua germânica, Hölderlin travou amizade com as principais figuras do seu tempo, Schelling e Hegel, com quem irá redigir, mais tarde, o célebre O mais antigo programa do idealismo alemão. No seu Hipérion ou o Eremita da Grécia (1797-1799), um romance epistolar em dois volumes, e nos seus Poemas (1826), deixou uma profunda reflexão sobre o exílio, o sublime e o mundo natural, incorporando na língua alemã a sintaxe do grego clássico e a sua complexa mitologia. Desde cedo marcado por uma perturbação mental, Hölderlin passará o final da vida em reclusão na famosa Torre de Tübingen, onde produz os seus «poemas da loucura», até aí morrer, no dia 7 de Junho de 1843.
Ver Mais