2021-09-20

Jacinto Lucas Pires distinguido com Prémio John Dos Passos

O romance Oração a que Faltam Joelhos, publicado pela Porto Editora, é o grande vencedor da 5ª edição do galardão

Partilhar:
O anúncio foi feito pelo Secretário Regional de Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, numa cerimónia no Centro Cultural John Dos Passos, em Ponta do Sol, freguesia da Madeira. O Prémio John dos Passos honra o nome do grande escritor americano descendente de imigrantes portugueses da Madeira. No valor pecuniário de 7.500 euros, visa premiar obras publicadas no biénio anterior ao ano a que respeita. Na presente edição, estiveram a concurso 45 obras, na modalidade de prosa de ficção, romance ou antologia de contos.

Editado em setembro de 2020, Oração a que Faltam Joelhos apresenta-nos as reflexões interiores de Kate Souza – uma filha de emigrantes portugueses nos EUA –, os seus anseios e preces, e é o segundo livro de Jacinto Lucas Pires pela Porto Editora, depois de A Gargalhada de Augusto Reis.


SOBRE O LIVRO

Órfã de mãe, desde cedo Kate Souza aprendeu a conviver com os silêncios do pai António e o espaço que estes ocupavam na ampla casa familiar, de madeira, com cerca e relvado à frente, igual a tantas outras, nessa terra das oportunidades para onde há muito os pais haviam emigrado. No entanto, quando António morre afogado no rio Lima, durantes as primeiras férias de Kate em Portugal, ela sente-se perdida, culpada e com uma história nas mãos. Uma história que é a sua vida. Talvez seja isso que, num mundo duro e doente, com cada vez menos capacidade de imaginação, faz dela escritora. Identidade e culpa, amizade e amor, jornalismo e literatura, totalitarismo e loucura, terrorismo e religião cruzam-se na história desta mulher, num tempo e num mundo onde, à falta de outro milagre, as velhas linguagens parecem querer renascer.


SOBRE O AUTOR

Escreve romances, contos, peças de teatro, filmes, música. Depois d'A Gargalhada de Augusto Reis (Porto Editora, 2018), publicou em 2020 Oração a que Faltam Joelhos. Também nesse ano foi publicado, na coleção do TNDM II, Canto da Europa (Bicho do Mato, 2020). No teatro, Lucas Pires trabalha com diferentes grupos e encenadores. Realizou o filme Triplo A. Faz parte da banda Os Quais (que lançou o disco Geral em 2019) e da companhia Ninguém. Recebeu o Prémio Europa — David Mourão-Ferreira (Univ. Bari/IC, 2008) e o Grande Prémio de Literatura DST 2013 (com o romance O verdadeiro ator). Durante o confinamento, lançou um livro de contos: Doutor Doente (Húmus, 2021).