Dia Internacional da Língua Materna
Violante Magalhães
Dia Internacional da Língua Materna
Dia Internacional da Língua Materna

A língua materna estrutura-nos, é a nossa raiz, individual e grupal. Aprendemo-la na infância, crescemos nessa língua e vamos intuindo (e ajuizando sobre) o funcionamento dela. Comunicamos, pensamos, sentimos, criamos com e pela língua materna; ela é sinónimo de identidade cultural. A língua portuguesa tem cerca de 250 milhões de falantes.1

21 de fevereiro é o Dia Internacional da Língua Materna. Esta efeméride foi proclamada pela UNESCO em 1999 e reconhecida formalmente pela Assembleia Geral das Nações Unidas; o episódio que lhe deu origem remonta a 1948. Nesse ano, o Governo do Paquistão declarou o urdu como única língua oficial para todo o território; no Paquistão de Leste (atual Bangladesh), cuja maioria de falantes tinha como língua materna o bengali, houve protestos. Em 21 de fevereiro de 1952, em Dhaka, durante uma manifestação em defesa do reconhecimento do bengali, alguns estudantes universitários e ativistas políticos enfrentaram forças policiais, acabando por ser mortos.

Ao comemorar o Dia Internacional da Língua Materna pretende-se proteger todas as línguas faladas no Mundo, honrando tradições culturais e respeitando a diversidade linguística. Estima-se que metade das quase 6000 línguas faladas no Mundo esteja em risco de desaparecer; ora, como bem alerta Irina Bokova, Directora-Geral da UNESCO, a perda de línguas empobrece a Humanidade.

Para 2016, a UNESCO escolheu o tema “Quality education, language(s) of instruction and learning outcomes”2. Ao defender o uso da língua materna nos primeiros anos de educação, reafirma-se a pertinência de o ensino ser feito na língua materna das crianças, para que sejam possíveis a comunicação, a compreensão, a criatividade, a aplicação do conhecimento, em suma, uma aprendizagem de qualidade.

As Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar (OCEP)3 têm como objetivos gerais pedagógicos, entre outros, o desenvolvimento pessoal e social; o respeito pela pluralidade de culturas; o respeito pelas características individuais, incutindo comportamentos que favoreçam aprendizagens significativas; o desenvolvimento da expressão e comunicação; o despertar da curiosidade e do pensamento crítico; o incentivo da participação das famílias no processo educativo e o estabelecimento de relações de efetiva colaboração com a comunidade. Assim, combinando estes objetivos com o motivo desta efeméride, é possível planear um conjunto de atividades que conduzam as crianças à perceção da diversidade de línguas existente e do multilinguismo como gerador de novos conhecimentos e ideias.

Neste Dia Internacional da Língua Materna, o educador de infância não poderá perder a oportunidade de preparar um dia especial. Espera-se que as abordagens promovam o desejo de inclusão e consequente tolerância entre povos, enfim, que estimulem uma educação em prol do bem-estar da Humanidade.

1 Os países que têm a língua portuguesa como língua oficial integram a CPLP — Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. V. www.cplp.org/
2 V. http://en.unesco.org/events/international-mother-language-day-2016
3 Departamento de Educação Básica. Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: ME, 1997. URL http://www.dge.mec.pt/orientacoes-curriculares-para-educacao-pre-escolar




Violante Magalhães - é professora de Literatura Infantil, Linguística e Literatura Portuguesa, na Escola Superior de Educação João de Deus, Lisboa. É doutorada em Literatura Portuguesa, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Pertence à equipa de especialistas do PNL. É presidente da Mesa de Assembleia Geral da Associação Portuguesa de Críticos Literários.

 

Dia do Autor Português
Isabel Ricardo
mai 2017
Saúde oral na infância
Pedro Santos
mar 2017
Carnaval
Carla Cadinha
fev 2017
2017- Aceitamos este desafio?
Joana Sucena
jan 2017
Minorar a crise e os exageros do Natal
Paula Veloso
dez 2016
Back to Top