Olhos de Caçador

Olhos de Caçador

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Código:77502
Edição/reimpressão:04-2014
Editor:11X17
ISBN:978-972-0-77502-3
ver detalhes do produto
8,00€
-10%
24H
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
24H
EM
STOCK
8,00€
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEm stock - Envio imediato

SINOPSE

Olhos de Caçador conta-nos a história de Zé Fraga, soldado do exército português, mobilizado para a guerra colonial em Moçambique. Contrabandista e passador de emigrantes, vivia de expedientes e pequenos golpes nas serranias das Beiras e na fronteira com Espanha, ludibriando a GNR e a Guardia Civil, até ao dia em que é preso, alistado e mobilizado compulsivamente para África. Rebelde, escarnece da autoridade e da obediência à lei. Quer continuar a ser um homem livre. Mas sente-se fascinado pela possibilidade de descobrir um mundo novo, sem limites e sem regras, que só a mobilização para África lhe pode proporcionar. Mulherengo, brigão, malandro, é um sedutor. O passado rústico na fronteira vai fazer dele o soldado mais adaptado à dureza do mato africano, tornando-o uma referência de coragem e liderança para os soldados da Companhia. O seu comportamento ousado e provocador fá-lo confrontar-se com o comandante, mas é admirado pelos colegas do pelotão e temido pelo inimigo.

«O melhor livro que jamais se escreveu em língua portuguesa sobre a essência da guerra e a servidão do combate.» José Manuel Barata Feyo
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Olhos de caçador
joão possante |14.07.2016
Talvez o melhor livro do género que li, onde o tema da guerra colonial é tratado de uma forma realista.

DETALHES DO PRODUTO

Olhos de Caçador
Edição/reimpressão:04-2014
Editor:11X17
Dimensões:111 x 170 x 20 mm
Encardenação:Capa mole
Páginas:472
Tipo de Produto:Livro
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Romance
António Brito é licenciado em Direito e trabalhou em empresas multinacionais. Nasceu entre as serras do Açor e do Caramulo, concelho de Tábua, distrito de Coimbra. Antigo combatente da guerra colonial, alistou-se aos dezoito anos na Força Aérea, nas Tropas Pára-quedistas, sendo mobilizado para a guerra em Moçambique. Combateu os guerrilheiros nacionalistas em algumas das mais importantes operações militares de toda a guerra ultramarina: nas florestas da serra Mapé, nos pântanos do rio Rovuma, no planalto dos macondes, no vale do rio Messalo. Colaborou com jornais de Moçambique e Portugal, contando histórias de guerra e de homens vivendo para lá dos seus limites.
Os seus romances Olhos de caçador (2007) e O céu não pode esperar (2009) baseiam-se nas suas vivências africanas na guerra de guerrilhas no antigo território português do Índico. Olhos de caçador foi considerado um dos melhores livros escritos em língua portuguesa sobre a guerra colonial, a condição de soldado e a solidão do combatente, revelando o seu lado desconhecido.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK