O Sonho Criador

O Sonho Criador

ISBN: 978-972-37-1117-2
Edição/reimpressão: 09-2006
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78637
Coleção: Peninsulares
ver detalhes do produto
14,00€ I
-10%
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
EM
STOCK
14,00€ I
COMPRAR
I 10% DE DESCONTO EM CARTÃO
I EM STOCK

SINOPSE

O presente volume, O Sonho Criador, é um aspecto da investigação acerca dos sonhos e do tempo empreendida, por quem sobre isto escreve já há alguns anos, e que, por sua vez, constitui um ponto de partida para a investigação acerca do tempo na vida humana, em suma, para uma concepção do tempo humano.

María Zambrano nasceu em Vélez-Málaga, em Abril de 1904. Além de ter contactado com as grandes figuras do seu país, desde Ortega y Gasset a Antonio Machado, esteve na primeira linha dos acontecimentos importantes do seu país.

Tomou partido e envolveu-se social, política e culturalmente. Foi radical e coerente nas suas convicções. Viajou durante quase toda a vida, juntando ao saber literário e escolar a enorme vivência social e de viajante incansável.

Foi a primeira mulher a receber o Prémio Cervantes em 1988. Foi também galardoada com o prémio Príncipe das Asturias em 1981.

Ver Mais

DETALHES DO PRODUTO

O Sonho Criador
ISBN: 978-972-37-1117-2
Edição/reimpressão: 09-2006
Editor: Assírio & Alvim
Código: 78637
Coleção: Peninsulares
Idioma: Português
Dimensões: 145 x 205 x 10 mm
Encadernação: Capa mole
Páginas: 192
Tipo de Produto: Livro
Classificação Temática: Livros > Livros em Português > Ciências Sociais e Humanas > Filosofia
María Zambrano nasceu em Vélez-Málaga, em abril de 1904. Além de ter contactado com as grandes figuras do seu país, desde Ortega y Gasset a Antonio Machado, esteve na primeira linha dos acontecimentos importantes do seu país.
Tomou partido e envolveu-se social, política e culturalmente. Foi radical e coerente nas suas convicções. Viajou durante quase toda a vida, juntando ao saber literário e escolar a enorme vivência social e de viajante incansável.
Em Zambrano é muito nítida a distinção entre a sua opção política de republicana, vermelha, lutadora, que a levará a regressar ao seu país no momento mais agudo de crise, e a sua opção estética ferozmente individual e descomprometida de qualquer veleidade jadnovista. Recorde-se que Zambrano regressou já em idade avançada a Espanha depois de anos de exílio. Cresceu, então, o enorme reconhecimento pela sua obra. Quando o rei de Espanha se dirigiu a sua casa para a conhecer, ia principalmente render-lhe a admiração e o respeito de toda a Espanha.
Ver Mais