A maldição dos Dain

A maldição dos Dain

avaliação dos leitores (1 comentários)
(1 comentários)
Código:07228
Edição/reimpressão:12-2013
Editor:Porto Editora
ISBN:978-972-0-07228-3
ver detalhes do produto
15,50€
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
COMPRAR
-10%
PORTES
GRÁTIS
EM
STOCK
15,50€
COMPRAR
I10% DE DESCONTO EM CARTÃO
IEm stock - Envio imediato
IPORTES GRÁTIS

SINOPSE

Publicado originalmente em 1929, A Maldição dos Dain coloca em cena o detetive privado da agência Continental, nunca tratado pelo seu nome, sempre por Continental Op, nascido num conto da revista Black Mask de 1923 e reaparecido já antes no romance Colheita Sangrenta.

Gabrielle Dain Leggett é uma jovem, bela e rica herdeira, devota da morfina e de cultos religiosos. À sua volta parece existir uma maldição que assassina violentamente os que a cercam. Trata-se de uma maldição familiar ou de facto de algo muito mais humano e perigoso?

Obra-prima do suspense, A Maldição dos Dain é um dos casos mais bizarros de Continental Op, um detetive frio e duro, imune às manipulações mas capaz de gestos generosos e salvadores.
Ver Mais

COMENTÁRIOS DOS LEITORES

Um policial à moda antiga
Rita Oliveira |02.06.2014
A primeira coisa que me chamou a atenção neste livro foi a capa, a par com a de outros recentes da mesma coleção. A segunda, ter sido escrito por um dos precursores da literatura policial. A terceira, não ler um policial puro há muito tempo (acho que não os lia desde que devorei as Agatha Christie dos meus pais). Neste livro há crimes, muitos crimes, cometidos a um ritmo a que quase escapamos. Crimes com armas brancas, com armas de fogo, com explosivos. Há suspeitos, muitos também, que vão mudando no decorrer da história. Há um detetive (de que nunca sabemos o nome) que escapa sempre a tudo. E há uma jovem rapariga em redor de quem tudo se passa, uma daquelas heroínas românticas viciada em morfina que acredita estar amaldiçoada e cuja simples existência parece ameaçar a vida de todos os que a rodeiam. O que senti: alguma confusão no meio de tantas personagens (pareceram-me dezenas...) que se movem em espaços muito distintos e alguma dificuldade em acompanhar as deduções do detetive, pois é preciso estar com atenção e voltar algumas vezes atrás para relembrar do quê e de quem é que está a falar. Se gostei? Sim, tendo em conta que foi publicado pela primeira vez em 1929 e que, portanto, muitos artifícios a que estamos hoje habituados ainda não se usavam. Se recomendo? Também, acho que vale a pena ler um clássico que acabou por estar na origem de tantos outros do mesmo género.

DETALHES DO PRODUTO

A maldição dos Dain
Edição/reimpressão:12-2013
Editor:Porto Editora
Dimensões:151 x 235 x 17 mm
Encardenação:Capa mole
Páginas:256
Tipo de Produto:Livro
Classificação Temática: Livros em Português > Literatura > Policial e Thriller
Dashiell Hammett nasceu em 1894, no estado de Maryland, EUA. Começou a trabalhar aos catorze anos para ajudar a sustentar a família e em 1915, tinha então vinte e um anos, foi contratado pela Agência de Detetives Pinkerton. Este período serviu-lhe de inspiração para a escrita de policiais. A sua carreira literária iniciou-se com a publicação de contos na revista Black Mask, protagonizados desde logo pelo investigador Continental Op, um verdadeiro "duro" com vinte anos de experiência, que seria o herói do seu livro de estreia, Colheita Sangrenta, lançado em 1929. O Falcão de Malta, publicado em 1930, é a primeira obra onde surge outra das suas personagens marcantes, o detetive Sam Spade, e continua a ser até hoje o seu livro mais famoso, tendo sido frequentemente transposto para o cinema. Completam a obra essencial de Hammett os títulos A Maldição dos Dain (1929), A Chave de Cristal (1931) e O Homem Sombra (1934). Juntamente com Raymond Chandler, Dashiell Hammett introduziu o realismo nas histórias de detetives e é considerado o pai do género hard-boiled. Faleceu em Nova Iorque a 10 de janeiro de 1961.
Ver Mais

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK