Educar com inteligência emocional: recomendações aos pais de crianças dos 3 aos 5 anos

O desenvolvimento da criança no pré-escolar caracteriza-se pelo surgir da competência comunicativa e pela associação das emoções a acontecimentos vivenciados. Uma boa regulação emocional depende da capacidade de exprimir, identificar e nomear emoções. A linguagem emocional é o primeiro passo para identificar e reconhecer o que acontece no nosso íntimo, compreender os sentimentos e sermos capazes de os expressar.

Em família, é fundamental usar a linguagem apropriada e transmitir os sentimentos de forma clara e adequada. Por imitação, a criança aprende a expressar as emoções, sobretudo quando o exemplo vem dos pais. É nestas idades que mais facilmente, a criança interioriza o exemplo do adulto quando este expressa por palavras o que sente. A partilha das emoções é assim incentivada e o exemplo induz à aprendizagem.

Como podem os pais contribuir para o desenvolvimento emocional dos seus filhos?

    • Enriquecendo o vocabulário emocional através do seu uso, no relacionamento com os filhos, facilitando a sua aprendizagem.

    • Dando o nome correto às emoções, para que possam aprender os termos adequados.

    • Conversando naturalmente sobre o que os filhos sentem, questionando-os sobre o porquê dos seus sentimentos. Crianças cujos pais falam com elas sobre os seus sentimentos desenvolvem uma inteligência emocional mais robusta e ficam mais aptos a identificar e a compreender os seus próprios sentimentos e os dos outros.

    • Permitindo-lhes expressar as emoções. Não se deve dizer “Não chores”, mas sim “Se tens necessidade de chorar, chora”. O choro é uma forma de pedir ajuda.

    • Exprimindo os seus próprios sentimentos: “Olá! Eu hoje sinto-me…, porque…” e perguntando-lhes, várias vezes por dia, como se sentem: “E tu? Como te sentes?”.

    • Respeitando as emoções do outro, permitem que a criança aprenda que cada pessoa tem a sua forma própria de sentir e se exprimir.

    • Incentivando-a a dizer sempre o que sente, o que gosta, o que não gosta, sem gritar, insultar ou bater.

    • Não se retraindo quando expressarem os seus sentimentos.

Todos nós vivenciamos emoções e devemos expressá-las; o segredo não está em evitar ou proibir, mas sim em as regular. Para uma boa aprendizagem emocional, tanto as emoções negativas (tristeza, medo…) como as positivas (alegria, felicidade…) são importantes na comunicação e na transmissão das mensagens.

O livro Inteligência emocional - Aprenda a ser Feliz é um ótimo recurso para os pais desenvolverem o seu vocabulário emocional. São apresentadas as emoções e seu significado, a sua integração por famílias e os termos exatos para as expressar

E agora, aproveite aqui esta atividade que temos para si para realizar com os seus filhos: “O Relógio das Emoções”. Descarregue aqui.