Como lidar com as expectativas das crianças no Natal

Aproxima-se o Natal, uma das festividades mais esperadas do ano. Apesar de ser uma época especial, pode também ser sinónimo de stress e preocupação para muitas famílias que tentam dar resposta às tarefas e às expectativas dos seus filhos. Todos querem ver as suas carinhas de satisfação ao abrirem os presentes, mas nem sempre é possível dar todas as prendas da lista de Natal. Deixamos algumas dicas de como ajudar a gerir as expectativas e as emoções dos mais pequenos nesta quadra.

Receber presentes é uma excelente oportunidade para exercitar um sentimento fundamental: a gratidão. A curiosidade em saber o que está para lá do papel de embrulho dura muito pouco tempo, mas a felicidade proporcionada por algo que se deseja e a consciência de que alguém se lembrou de nós é duradoura.

Porém, as expectativas podem ser defraudadas, quer seja por não ser o presente que se idealizou ou por não ser a quantidade de prendas desejadas. Deixamos-lhe algumas dicas sobre como preparar os mais novos para essa possibilidade e, assim, desenvolver sentimentos como a gratidão e o cuidado com os outros.

1. Peça uma lista

Peça à criança para fazer uma lista dos presentes que gostaria de ter. Esta também poderá ser uma divertida atividade para fazer em família e para desenvolver a imaginação e criatividade.

Dessa lista, peça que escolha os brinquedos de que gosta mesmo muito e deixe também o desafio de reduzir a escolha a apenas um pedido. A seleção pode ser difícil, mas escolher de entre os itens de uma lista desenvolverá a sua capacidade de decisão e trabalhará a sua resistência à frustração.

No entanto, se a situação financeira familiar não o permitir, fale com os seus filhos e explique, sem muitos pormenores, que têm um orçamento que não podem ultrapassar.

2. Estabeleça um orçamento e seja honesto

Decida quanto vai gastar nas prendas de Natal. Faça um orçamento. Se o seu filho pedir um presente muito acima do que pretende gastar, seja honesto sobre as limitações financeiras e explique-lhe antecipadamente o que esperar, sem promessas exageradas. Enfatize as tradições familiares e a importância do tempo passado em família, para que as crianças possam perceber que o Natal é muito mais do que presentes.

3. Exercite a empatia dando presentes

Mostre ao seu filho que pode tornar muitas pessoas felizes, ao oferecer brinquedos que já não usa a alguém em particular ou a instituições. No entanto, deve ser ele, e não os pais, a escolher os brinquedos a oferecer. Tal permitir-lhe-á experimentar a verdadeira generosidade, ao oferecer algo a outra pessoa.

Pode também envolver as crianças em ações solidárias ou em projetos de solidariedade para cultivar a empatia.

4. Foque-se na família

Na noite de Natal, mantenha um ambiente agradável. O momento da troca de presentes é especialmente valorizado pelas crianças, mas, nos próximos anos, elas irão lembrar-se melhor da atmosfera emocional daquela noite do que dos presentes que receberam.

No fim da noite, mostrem uns aos outros os presentes que receberam. Reserve um último presente para ser aberto no fim da festa ou na manhã seguinte, qualquer coisa que todos os membros recebem e partilham, que não é de ninguém em particular, mas de todos (um jogo de tabuleiro, por exemplo) e que podem usar juntos.

A beleza da época natalícia não se resume às decorações, às músicas e aos presentes. Esta é uma boa altura para desenvolver nos filhos a gratidão, a generosidade e a empatia, competências de escolha, de tomada de decisão e de resistência à frustração. Mas, a par disto, é uma excelente oportunidade para reforçar os laços afetivos e a unidade familiar, pois uma família fortalecida cria adultos melhores e mais felizes.