Dicas para aprender gramática divertidamente no 1.º ciclo

À semelhança da matemática, também a gramática é, para muitos alunos, um autêntico “bicho-papão”. Porque é preciso decorar regras, aprender termos complicados, saber os tempos verbais na ponta da língua... e tudo isso é muito custoso e aborrecido!

É este o quadro cinzento-escuro pintado pelos alunos de quase todos os níveis de ensino. Haverá alguma fórmula (mágica!) que os seduza a estudarem gramática com prazer e satisfação?

Gramática é um termo ambíguo, na medida em que designa não só o conhecimento intuitivo que nós, falantes, temos da nossa língua, como também os princípios que regulam o seu uso oral e escrito. Quando as crianças entram para a escola, aos 6, 7 anos, são já falantes competentes da sua língua materna, dominando por completo a gramática: conhecem os sons e a forma como se combinam, reconhecem as palavras e conhecem os seus vários significados, sabem combinar as palavras a fim de construírem frases simples e complexas, etc., etc. A escola será, assim, o lugar privilegiado onde as crianças irão desenvolver esse conhecimento intuitivo, através do estudo formal da língua.

De que modo, então, é que esse estudo formal poderá ser profícuo e eficaz?

Que métodos poderão os pais utilizar em casa para que a aprendizagem da gramática não seja um tormento, mas antes um prazer, dando continuidade ao trabalho desenvolvido na sala de aula?

O segredo estará, muito provavelmente, em adotar estratégias pedagógicas atrativas que levem as crianças a apreciarem a construção e desconstrução das palavras, como se de um puzzle se tratasse, descobrindo elas próprias a regra e o padrão, evitando, assim, a memorização de regras sem fim.

Como têm sugerido alguns especialistas, a gramática pode ser ensinada de forma lúdica, a partir de atividades interessantes e divertidas, como por exemplo fazendo jogos que permitam distinguir os verbos regulares dos irregulares, explorando as classes de palavras através de trava-línguas e lengalengas, resolvendo enigmas sintáticos, etc. etc. A ideia passa por fazer do quarto, do escritório ou da sala um laboratório gramatical, em que o aluno é um verdadeiro cientista que observa os dados, testa hipóteses, cria regras e forma generalizações!

Vamos a exemplos práticos! Descarregue aqui três propostas de atividades que permitirão trabalhar a gramática de uma forma muito divertida com os seus filhos.

No processo de aprendizagem da gramática, há certamente lugar para a criatividade. A partir de frases inventadas pelos pais, as crianças poderão, elas próprias, chegar à regra e à generalização. Contribuindo para a construção do conhecimento, pais e alunos envolvem-se com prazer e satisfação à descoberta da língua, obtendo, seguramente, melhores resultados.