Novo confinamento? 6 dicas para manter a saúde mental das crianças

A saúde mental das crianças é uma das maiores preocupações desde o início da pandemia e manter rotinas, estabelecer regras e redefinir limites pode ajudar no equilíbrio emocional das crianças.

Este contexto da pandemia da COVID-19 trouxe uma realidade que ninguém conhecia e para a qual a maior parte das pessoas não estava preparada. E o confinamento geral, com o encerramento das escolas, foi claramente um exemplo disso.

Assim, faz sentido perceber como viver este momento da melhor forma possível e, acima de tudo, como minimizar o impacto desta situação na saúde mental das crianças, pelo que deixo aqui seis dicas que o podem ajudar:

1. Respeite as horas de descanso

O sono é uma necessidade básica para todos: bebés, crianças e adultos. Por esse motivo, deve ser encarado como uma prioridade no dia a dia, de forma a não condicionar o funcionamento e as relações familiares.

2. Estabeleça horários

Os horários e as rotinas são muito importantes: dão segurança às crianças, porque conseguem ter alguma previsibilidade no seu dia; e permitem estabelecer prioridades, o que é fundamental para ir ao encontro das necessidades de todos.

Este aspeto é ainda mais importante quando os pais estão em teletrabalho, porque ter um horário de trabalho definido permite gerir as disponibilidades de todos e reforçar uma ideia que me parece fundamental: teletrabalho não implica disponibilidade permanente!

3. Dê qualidade ao tempo que passa em família

O tempo passado em família deve ser de qualidade, e esse deve ser sempre o princípio orientador. Neste contexto atual, em que os pais passam mais tempo com os filhos, é crucial que não descure este aspeto. Defina momentos para estarem todos juntos genuinamente, sem distrações, ecrãs ou obrigações.

4. Aproveite para conhecer melhor os seus filhos

Ao partilharem interesses uns com os outros e estipulando atividades em conjunto, vão acabar por se conhecer melhor, o que é um passo fundamental no fortalecimento de qualquer relação.

5. Faça atividades diferentes das que costuma fazer

As opções são praticamente inesgotáveis, basta pensaram um pouco e ter vontade. Cozinhe com os seus filhos, dance com eles, faça jardinagem ou teatro, por exemplo, mas seja inventivo e opte, de vez em quando, por atividades que nunca fez com eles. Não tenho dúvida de que será diversão garantida.

6. Seja permissivo com os ecrãs, desde que o uso seja adequado

Os ecrãs são uma parte integrante da vida das crianças, e esta pandemia veio intensificar ainda mais essa realidade. Por esse motivo, é importante estabelecer algumas regras para o seu uso, mas gostaria também de focar um aspeto que me parece importante: é através dos ecrãs que as crianças contactam com os amigos e com os familiares que estão distantes, pelo que faz sentido permitir um uso mais alargado, principalmente quando tem essa vertente “social”. É verdade que nada substitui o contacto pessoal, mas, neste contexto, essa pode ser uma compensação interessante para garantir algum convívio entre crianças.

 

Desde o início da pandemia, uma das maiores preocupações foi mesmo a de qual seria o impacto desta situação na saúde mental das crianças. Felizmente, a realidade mostrou que esse impacto não foi assim tão significativo, uma vez que elas têm uma capacidade de adaptação enorme, o que tem sido uma ótima constatação. Por esse motivo, faz sentido tentar otimizar o mais possível o seu dia a dia, de forma que continue a ser essa a realidade e que não haja grandes consequências para o equilíbrio emocional das nossas crianças.

 

AS OBRAS DO AUTOR

O livro mágico do avô João  O Livro do seu Bebé    

Pediatra, docentenda Universidade do Minho e do Instituto Politécnico de Viana do Castelo enformador pelo European Ressuscitation Council na área de EmergênciasnPediátricas.

Criador do site Pediatria para Todos (http://pediatriaparatodos.com/que conta já com maisnde 10 milhões de visitas, Hugo Rodrigues é também presença regular nantelevisão, na TVI e no Porto Canal, e na rádio, na M80. Escreve ainda para asnrevistas Visão e Saúda, e para a plataforma Simply Flow – by Fátima Lopes e éntambém autor dos livros Pediatra para Todos e Primeiros Socorros – Bebés enCrianças.