2014-04-07

Zeca Afonso – Livra-te do Medo

A biografia mais completa sobre uma voz maior do 25 de Abril.

Partilhar:

A obra mais completa até hoje publicada sobre José Afonso chega às livrarias no dia 17 de abril, numa edição Porto Editora. Zeca Afonso – Livra-te do Medo, de José A. Salvador, é uma biografia largamente ilustrada com fotografias, fac-símiles de manuscritos e vários documentos inéditos dos arquivos da PIDE e da censura.


Prefaciado por Adelino Gomes, este livro apresenta uma longa entrevista ao cantautor, bem como depoimentos de familiares e amigos. Permite ainda conhecer a sua relação com a literatura, a sua biblioteca (com 829 livros numerados e assinados), o início da carreira, os tempos de perseguição e prisão, e a doença que lhe foi fatal.

José Afonso foi indiscutivelmente uma das grandes vozes da Revolução de Abril e as suas canções refletiram os sentimentos de uma época de repressão. «Grândola, Vila Morena» é um tema que, ainda hoje, procura ser instrumento de intervenção, e este ano, para além dos 40 anos do 25 de Abril, comemoram-se também os 50 anos de vida desta canção.



SINOPSE
Em 2014 ocorrem dois aniversários históricos, assinalados por esta edição.

Em maio de 1964, passam agora 50 anos, José Afonso foi cantar à Sociedade Fraternidade Operária Grandolense, acontecimento que o inspiraria a escrever, dias depois, um poema dedicado a Grândola, musicado e cantado para o álbum Cantigas do maio de 1971. A 25 de abril de 1974, esta canção seria utilizada pelo MFA para desencadear o golpe militar que derrubou o regime de Salazar-Caetano, devolvendo a liberdade ao povo português e abrindo caminho à independência das ex-colónias portuguesas.

O AUTOR
José A. Salvador nasceu em Espinho em 1947. Frequentou a Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, período durante o qual conheceu José Afonso e integrou a Direção-Geral da Associação Académica de Coimbra durante a crise estudantil de 1969.

É jornalista desde 1969, quando iniciou a sua atividade profissional em O Comércio do Porto. Integrou posteriormente várias redações de jornais, entre os quais o Diário de Lisboa, o República e o Diário Popular. Em 1992, foi fundador da SIC, onde durante dois anos programou a informação. Desenvolveu posteriormente a cobertura jornalística de temas culturais até 2002. Durante esta década, assinou também quatro grandes reportagens/documentários, em 1994, sobre o verão quente. O Clube de Imprensa distinguiu-o por duas vezes com o 1.o Prémio Viagem pelas reportagens «Tejo, por este rio acima» e «Cabo Verde, o sonho das ilhas».

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK