2020-02-17

Valter Hugo Mãe, Rosa Montero, Ricardo Fonseca Mota e Antonio Colinas apresentam novos livros no Correntes D’Escritas

A oratória dos mansos, da coleção elogio da sombra, completa o conjunto de novidades que a Porto Editora reservou para o importante evento literário da Póvoa de Varzim.

Partilhar:
Faltam menos de 48 horas para a Cerimónia de Abertura da 21ª edição do Correntes d’Escritas. Às 11 horas desta quarta-feira, dia 19, o Salão Nobre do Casino da Póvoa estará repleto de escritores provenientes de vários países, jornalistas e editores, que testemunharão o anúncio do vencedor do Prémio Literário Casino da Póvoa – em que Leonardo Padura, com A Transparência do Tempo, é um dos nomeados – e das escolas distinguidas no âmbito do Prémio Conto Infantil Ilustrado Correntes d’Escritas | Porto Editora.

Sendo o Correntes D’Escritas um dos mais relevantes eventos literários realizados em Portugal, e considerando a sua dimensão ibero-americana, a Porto Editora programou para esta altura o lançamento dos novos livros de Ricardo Fonseca Mota (As Aves Não Têm Céu), de Antonio Colinas (Harmonia), de Rosa Montero (Os Tempos do Ódio), e de Valter Hugo Mãe (Serei sempre o teu abrigo), no caso, direcionado para os leitores mais novos. De destacar, ainda, o lançamento de um novo título da coleção dedicada à poesia elogio da sombra, A oratória dos mansos, de Jorge Melícias, que será apresentado pelo curador da coleção, Valter Hugo Mãe, com a participação especial de Adolfo Luxúria Canibal e Emanuel Madalena.

A par destes lançamento, há a sublinhar a participação de vários autores da Porto Editora em diferentes mesas programas para esta edição do Correntes D’Escritas:

Mesa 1 – Já não (se) salva a literatura – Antonio Colinas
quarta-feira, 19 de fevereiro, 17:30 – Cine-Teatro Garrett (sala principal)

Mesa 2 – Mulheres, artes e ditadura – Rui Zink
quinta-feira, 20 de fevereiro, 10:00 – Cine-Teatro Garrett (sala principal)

Mesa 3 – Era uma vez a liberdade – Luis Sepúlveda
quinta-feira, 20 de fevereiro, 15:00 – Cine-Teatro Garrett (sala principal)

Mesa 4 – Tenho medo da poesia – Ana Luísa Amaral
quinta-feira, 20 de fevereiro, 18:00 – Cine-Teatro Garrett (sala principal)

Mesa 7 – Nas redes perdidos, os livros de amanhã – Ricardo Fonseca Mota
sexta-feira, 21 de fevereiro, 18:30 – Cine-Teatro Garrett (sala principal)

Rui Zink vai ainda apresentar O avô tem uma borracha na cabeça aos alunos da Universidade Sénior da Póvoa de Varzim e é um dos autores convidados para a iniciativa paralela "D’Escritas 1 Dia" – uma residência literária de um dia, na Fundação Dr. Luís Rainha.


LANÇAMENTOS



21 de fevereiro | 17:30 | Galerias Euracini 2 (Sala Sarilho)

As aves não têm céu / Ricardo Fonseca Mota
Harmonia / António Colinas
Os Tempos do Ódio/ Rosa Montero

22 de fevereiro | 11:30 | CineTeatro Garrett (Sala de Atos)

Serei sempre o teu abrigo / Valter Hugo Mãe
a oratória dos mansos / Jorge Melícias
Sob a forma do silêncio / Emanuel Madalena
No rasto dos duendes eléctricos / Adolfo Luxúria Canibal

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK