2019-10-30

Porto Editora e Fundação José Saramago vão doar mais de 15 mil euros para operação da Cruz Vermelha Portuguesa em Moçambique

Vendas da edição especial de O Conto da Ilha Desaparecida destinam-se a apoiar a operação "Embondeiro", da Cruz Vermelha Portuguesa, na assistência às vítimas do ciclone Idai.

Partilhar:

Poucos dias após a passagem do ciclone Idai por Moçambique, em março passado, a Porto Editora e a Fundação José Saramago anunciaram uma edição exclusiva de O Conto da Ilha Desaparecida, com o objetivo de angariar fundos para apoiar o trabalho da Cruz Vermelha Portuguesa naquele país.


Seis meses depois, e com o apoio das Livrarias Bertrand, da FNAC e de várias livrarias independentes, esta iniciativa conseguiu recolher uma verba significativa superior a 15 mil euros – em rigor, 15.378,65 € . Este valor será entregue àquela instituição em breve, com o objetivo de apoiar a operação “Embondeiro”, organizada para socorrer as vítimas do ciclone Idai.

Quando esta iniciativa foi anunciada, Pilar del Río, Presidenta da Fundação José Saramago, e Vasco Teixeira, Administrador e Diretor Editorial do Grupo Porto Editora, evocaram a ética da responsabilidade e a necessidade de um envolvimento coletivo no apoio solidário a Moçambique.

De acordo com a Cruz Vermelha Portuguesa, o Ciclone Idai afetou 1 milhão e 850 mil pessoas, provocando mais de 700 mortos e milhares de feridos. No início da Operação Embondeiro foi montado um Hospital de Campanha que realizou mais de 4000 atendimentos. Foram também enviadas muitas toneladas de alimentos, medicamentos e material médico e de puericultura. Neste momento, a presença da Cruz Vermelha Portuguesa tem como objetivo a reconstrução do Centro de Saúde e Maternidade de Macurungo/Beira, cujas obras estão a avançar a bom ritmo, prevendo-se a sua conclusão no final deste ano.

Esta edição exclusiva de O Conto da Ilha Desaparecida, que José Saramago acabou de escrever a 27 de março de 1997, i.e., há 22 anos e alguns dias, como deixou registado no Volume V dos Cadernos de Lanzarote *, esteve disponível nas Livrarias Bertrand, na FNAC e em várias livrarias independentes, devidamente identificada com uma mensagem alusiva à iniciativa.

Publicado, pela primeira vez, em 1997, pelo Pavilhão de Portugal – Expo 98 e pela Assírio & Alvim, O Conto da Ilha Desaparecida narra uma história de otimismo e perseverança na concretização dos sonhos, protagonizada por um homem que procura um barco para navegar até uma ilha que ninguém sabe existir. Este conto foi por diversas ocasiões alvo de edições especiais para apoiar a Cruz Vermelha em campanhas de reconstrução de países afectados por catástrofes naturais, como em El Salvador ou na Colômbia.

Em 2010, em resposta ao forte terramoto que destruiu o Haiti, a Fundação José Saramago colaborou também com a Cruz Vermelha, então com uma edição especial de A Jangada de Pedra, cujas receitas reverteram, na totalidade, para apoiar a reconstrução do país.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK