2023-01-19

Porto de Encontro homenageia Eugénio de Andrade

Na primeira sessão de 2023, o Porto de Encontro homenageia Eugénio de Andrade, numa sessão especial que assinala o centenário do nascimento do poeta

Partilhar:

A 93.ª sessão deste ciclo de conversas mensais realiza-se a 28 de janeiro, a partir das 17:00, na Biblioteca Municipal Almeida Garrett (Porto) e conta com a participação especial de Isabel Ponce de Leão, Júlio Machado Vaz, Miguel Moura e Rui Lage. As leituras estão a cargo de Cristiana Sabino. A entrada para este evento, organizado pela Porto Editora em colaboração com a Câmara Municipal do Porto, é livre.

Eugénio de Andrade, pseudónimo de José Fontinhas, nasceu a 19 de janeiro de 1923 no Fundão. Em 1947 ingressou na função pública, como funcionário dos Serviços Médico-Sociais, e em 1950 fixou residência no Porto. Foi um dos poetas portugueses mais lidos e traduzidos, mantendo ao longo de uma longa e fecunda carreira uma postura de independência relativamente aos vários movimentos literários com que a sua obra coexistiu ao longo de mais de cinquenta anos de atividade poética. Desde a sua revelação em 1948, com As Mãos e os Frutos, seguindo-se, em 1950, Os Amantes sem Dinheiro, que a sua obra se manifesta por uma clareza radical ao nível do léxico usado no poema, na construção de cada um dos versos. Não obstante, não se tornam por isso poemas de fácil compreensão: é na depuração da linguagem e das imagens que reside a riqueza das suas estrofes ou, para usar as palavras do autor, é aí o preciso «lugar onde o desejo ousa fitar a morte nos olhos». Com a mesma força se dedicou Eugénio de Andrade a traduzir alguns dos seus poetas e autores de eleição (Safo, Lorca, Ritsos, entre outros). Pelo seu enorme trabalho foi sendo distinguido com inúmeros prémios ao longo da sua vida, entre os quais: Pen Clube (1986), Associação Internacional dos Críticos Literários (1986), Dom Dinis (1988), Grande Prémio da Associação Portuguesa de Escritores (1989), Prémio Vida Literária atribuído pela APE (2000) ou, ainda, o Prémio Camões (2001). Morreu a 13 de junho de 2005 no Porto, cidade que o acolheu mais de metade da sua vida.

Pela Assírio & Alvim tem editadas mais de 25 obras, a mais recente delas Prosa, publicada em maio de 2022. Este volume completa o trabalho iniciado com Poesia (2017), reunindo os livros que Eugénio de Andrade considerava serem a sua obra em prosa: Os Afluentes do Silêncio (1968), Rosto Precário (1979), À Sombra da Memória (1993) e os três textos de A Cidade de Garrett (1993).

Parte da vida cultural da cidade desde 2011, este ciclo de conversas reuniu mais de 21.000 espectadores em 92 edições realizadas em diversos espaços da cidade, como o Teatro Rivoli, a Casa das Artes, a Casa da Música, a Biblioteca Almeida Garrett ou o Teatro Nacional São João.

Esta edição conta com o apoio da Câmara Municipal do Porto, da Antena 1, do Jornal de Notícias e das Livrarias Bertrand. A iniciativa está a ser divulgada em www.portoencontro.pt e também no Facebook.

Conheça as nossas novidades

Seja o primeiro a conhecer os livros que acabaram de chegar, notícias sobre autores, conteúdo exclusivo e muito mais!

Conheça as nossas novidades

Seja o primeiro a conhecer os livros que acabaram de chegar, notícias sobre autores, conteúdo exclusivo e muito mais!