2013-06-20

Poesia para todo o ano

Seleção e prefácio de Luísa Ducla Soares

Partilhar:
Autora de 130 livros, Luísa Ducla Soares selecionou os poemas que integram Poesia para todo o ano, uma antologia da Porto Editora organizada de acordo com os temas abordados no 1.º Ciclo do Ensino Básico.

Esta antologia, que pretende contribuir para a formação literária dos mais novos, contou com apoio pedagógico da professora Rosa Maria F. Silva. Aborda assuntos como, por exemplo, a natureza, o corpo humano, a História de Portugal, as festividades, entre outros. E inclui a indicação do nível de dificuldade de cada poema e respetiva recomendação do ano de escolaridade a que se destina.

Cada um dos doze capítulos é ilustrado por um artista diferente, facto que permite que a criança tenha acesso a uma grande variedade estética.

A obra chega às livrarias a 28 de junho e é apresentada a 1 de julho, pela própria Luísa Ducla Soares, às 18:30, no El Corte Inglés, em Lisboa. A sessão contará com a leitura de alguns poemas.

SINOPSE
Esta antologia, dirigida especialmente a crianças do 1.º Ciclo do Ensino Básico, é certamente uma bela iniciação à poesia e constitui um apoio para professores e encarregados de educação. Inclui poemas de todos os livros presentes nas Metas Curriculares de Português para este nível de ensino e muitos dos que figuram no Plano Nacional de Leitura.

Através dos mais reconhecidos poetas do passado e contemporâneos, abrange temáticas abordadas nos quatro primeiros anos de escolaridade, procurando estimular o prazer de ler e o gosto pela poesia e pela língua portuguesa.

LUÍSA DUCLA SOARES
Nascida em Lisboa e licenciada em Filologia Germânica, dedica-se especialmente à literatura infantojuvenil como autora, estudiosa, divulgadora.

Tendo sido jornalista, adjunta do Ministério da Educação e trabalhando 30 anos na Biblioteca Nacional, tem realizado numerosas sessões de incentivo à leitura e conferências em escolas, bibliotecas, universidades.

Autora de 130 livros, recusou, por motivos políticos, o Prémio Maria Amália Vaz de Carvalho e foi por duas vezes galardoada pela Fundação Calouste Gulbenkian, uma delas pelo conjunto da sua obra.