2019-01-11

O que se esconde por trás da porta?

Teolinda Gersão regressa aos contos com Atrás da porta e outras histórias.

Partilhar:

«… percebi que há portas que, uma vez abertas, nunca mais se voltam a fechar, e o que se passava atrás delas fica para sempre visível.» O mundo e a vida não são o que parecem.


No novo livro de Teolinda Gersão, Atrás da porta e outras histórias, que a Porto Editora publica a 17 de janeiro, a literatura espreita por uma frincha da porta e revela-nos histórias muitas vezes ocultas, o lado mais privado da vida e dos pensamentos dos outros, trazendo à luz revelações de beleza ou de horror, de fragilidade e até de perfídia.

Depois de Prantos, amores e outros desvarios, que captavam «o pulsar distinto da vida como se de um batimento comum se tratasse» (in Público), Teolinda Gersão, recentemente galardoada com o Marquis Lifetime Achievement Award, volta a cativar o leitor com uma escrita intimista, desvendando o melhor e o pior da alma humana.

SINOPSE

Atrás da porta há segredos. De beleza ou de horror, porque o mundo e a vida não são o que parecem.
Por vezes a literatura consegue espreitar por uma frincha da porta, ou mesmo forçá-la a abrir-se.
Essa tentativa, sempre renovada, é o objectivo da escrita.

A AUTORA

Teolinda Gersão estudou nas Universidades de Coimbra, Tübingen e Berlim, foi leitora de português na Universidade Técnica de Berlim e professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde leccionou Literatura Alemã e Literatura Comparada. Viveu três anos na Alemanha, dois em São Paulo, Brasil, e conheceu Moçambique e a cidade de Lourenço Marques, onde decorre o romance A árvore das palavras. É autora de 17 livros e a sua obra encontra-se traduzida em 14 países. Considerada uma das maiores escritoras portuguesas da actualidade, foi galardoada com os mais prestigiados prémios literários nacionais, nomeadamente o Grande Prémio de Romance e Novela da APE, o Prémio do PEN Clube (1981 e 1989), o Grande Prémio do Conto Camilo Castelo Branco e o Prémio Fernando Namora (1999 e 2015).

Foi escritora residente da Universidade de Berkley em 2004.

Alguns dos seus contos e livros têm sido adaptados ao cinema e ao teatro e encenados em Portugal, Alemanha e Roménia.

Em 2018 foi-lhe atribuído o Marquis Lifetime Achievement Award.

Mais informações no site: www.teolindagersao.wordpress.com

Sobre Prantos, amores e outros desvarios

A escrita de Teolinda traz luz à nossa escuridão, mesmo que a loucura espreite a cada momento. Somos nós do outro lado do espelho a espreitar a nossa própria humanidade. Aliás, os três substantivos do título destes contos significam, talvez na totalidade, toda a condição humana, no imaginário destes personagens e na realidade das nossas próprias vidas.
Vamberto Freitas, Açoriano Oriental

Uma notável arquitectura onde os planos convergem e divergem sem um fechamento definitivo. Onde não há redenção, nem castigo. E onde, como em qualquer pesadelo digno desse nome, nunca nada realmente termina. Prantos... percorre com destreza o espectro vasto do quotidiano. Do mais conturbado ao mais aparentemente plácido, a escrita de Teolinda capta o pulsar distinto da vida como se de um batimento comum se tratasse.
Hugo Pinto Santos, Público

Uma finíssima e maliciosa ironia, uma pessoalíssima liberdade de execução, e uma enorme variedade de registos e de vozes narrativas. Tudo alimentado por uma prodigiosa imaginação fabricadora.
Eugénio Lisboa, Jornal de Letras

Teolinda retoma a shortstory situando-a nesse campo fascinante da demiurgia, fantasiando enredos em torno de existências, relacionamentos, desejos secretos, perdas, desilusões, ressentimentos, excessos e perversões, explorando as fronteiras do acto de criação e cruzando nele a realidade e o imaginário, o «acontecer» e o «poder acontecer», a matéria do quotidiano e o absurdo, o senso comum e a loucura.
Clara Rocha, Colóquio/Letras

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK