2015-02-12

O mais recente romance do maior escritor cubano

Leonardo Padura estará em Portugal para apresentar Hereges.

Partilhar:
A Porto Editora publica, a 20 de fevereiro, Hereges, o mais recente romance de Leonardo Padura e, segundo o El País, «o cruzamento perfeito entre o romance histórico, o romance social e o policial». O escritor cubano vai participar e apresentar este livro no encontro Correntes d’Escritas 2015, que se realiza de 26 a 28 de fevereiro na Póvoa de Varzim. Posteriormente estará em Lisboa para uma sessão no Instituto Cervantes, no dia 2 de março, às 18:30. Vencedor do X Prémio Internacional de Romance Histórico «Ciudad de Zaragoza», um dos mais importantes galardões do género, Hereges é um romance absorvente, protagonizado pelo detetive Mario Conde, sobre uma saga judaica que vai desde 1939 até aos nossos dias e que vem confirmar o autor como um dos narradores mais ambiciosos e internacionais da língua espanhola.

SOBRE O LIVRO
Em 1939, o S.S. Saint Louis, onde viajavam novecentos judeus fugidos da Alemanha, passou vários dias ancorado no porto de Havana à espera de autorização para desembarcar. Um rapaz, Daniel Kaminsky, e o tio aguardam no cais a saída dos familiares, confiantes de que estes tentariam os oficiais havaneses com o tesouro que traziam escondido: uma pequena tela de Rembrandt, na posse dos Kaminsky desde o século XVII. Mas o plano fracassou e o transatlântico regressou à Europa, levando consigo qualquer esperança de reencontro e condenando muitos dos seus passageiros.

Volvidos largos anos, em 2007, quando essa tela vai a leilão em Londres, o filho de Daniel, Elías, viaja dos Estados Unidos a Havana para descobrir o que aconteceu com o quadro e com a sua família. Só um homem como o investigador Mario Conde o poderá ajudar. Elías descobre então que o pai vivia atormentado por um crime, e que esse quadro, uma imagem de Cristo, teve como modelo outro judeu, que quis trabalhar no atelier de Rembrandt e aprender a pintar com o mestre.

O AUTOR
Leonardo Padura nasceu em Havana, em 1955. Licenciado em Filologia, trabalhou como guionista, jornalista e crítico, tornando-se sobretudo conhecido pela série de romances policiais protagonizados pelo detetive Mario Conde, traduzidos para inúmeras línguas e vencedores de prestigiados prémios literários, como o Prémio Café Gijón 1995, o Prémio Hammett em 1997, 1998 e 2005, o Prémio do Livro Insular 2000, em França, ou o Brigada 21 para o melhor romance do ano, além de várias distinções em Cuba. O seu anterior romance, O Homem que Gostava de Cães, já publicado na Porto Editora, foi também galardoado com inúmeros prémios, entre os quais o Roger Caillois, em 2011, tornando-se o primeiro autor cubano a ser distinguido, e o Prémio da Crítica Literária.

IMPRENSA
Padura transcende os limites do romance histórico e dignifica-o literariamente. É um deleite para qualquer leitor.
El Mundo

Talvez o maior mérito deste livro seja o de nos permitir desfrutar do melhor de Mario Conde, ao mesmo tempo que nos retrata com crueza e realismo o pior da perseguição aos judeus […], submergindo-nos simultaneamente na dura realidade cubana.
El País

Um romance magnífico, habilmente construído.
Livres Hebdo

Um notável trabalho de documentação […] uma intriga fascinante […] uma catástrofe humanitária repleta de paralelos históricos em território europeu […] uma clara advertência contra os fanatismos de todas as espécies […]
El Cultural


Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK