2020-09-28

O acontecimento mais marcante na nossa História na segunda metade do século xx

Porto Editora publica Guerra Colonial, o livro de Aniceto Afonso e Carlos de Matos Gomes que analisa ao detalhe o conflito que marcou uma geração

Partilhar:

A obra Guerra Colonial — agora disponível numa nova edição revista e aumentada, após longos anos esgotada no mercado — debruça-se sobre este fenómeno de primeira grandeza da nossa História, que permitiu a Portugal estar no centro do movimento descolonizador pós-Segunda Guerra Mundial. Aniceto Afonso e Carlos de Matos Gomes analisam não só as doutrinas ideológicas e as operações no terreno, mas também o enquadramento político, militar e social da eclosão e, depois, do prolongamento deste conflito armado tendo Angola, Guiné-Bissau e Moçambique como cenários.

O livro estará disponível nas livrarias a 1 de outubro.

SOBRE O LIVRO

Nesta obra, procurou-se primeiro perceber quais os motivos da opção pela guerra, o pilar que desde 1961 sustentou o regime de Salazar, corroído pelos anos de poder e ameaçado pelos «ventos da mudança», e que desmoronou após treze anos perdidos sem um vislumbre de solução, arrastando consigo a ditadura e o colonialismo, considerando o panorama nacional e internacional; também o impacto do conflito na sociedade portuguesa, na economia, nos movimentos sociais, políticos e religiosos; e o modo de fazer a guerra, desde a organização das forças terrestres, aéreas e navais, e das forças locais, à relação dos militares com as populações.
Em seguida, são descritas e analisadas as teses da guerra ganha ou guerra perdida; a teia das conspirações, versando os desfechos para o conflito armado e a questão colonial, urdida entre as várias fações do regime; e por fim as tentativas de solução para a guerra.

SOBRE OS AUTORES

Aniceto Afonso

Nasceu a 18 de fevereiro de 1942, em Vinhais. Concluiu o curso da Academia Militar em 1963. Cumpriu comissões em Angola (1969-1971) e em Moçambique (1973-1975). Licenciou-se em História pela Faculdade de Letras de Lisboa em 1980 e fez um mestrado em História Contemporânea de Portugal, pela mesma faculdade, em 1990. Foi diretor do Arquivo Histórico Militar de 1993 a 2007, integrando vários grupos de trabalho e comissões relacionadas com os arquivos de militares, a sua documentação e história. É membro da Comissão Portuguesa de História Militar.

Carlos de Matos Gomes

Nasceu a 24 de julho de 1946, em Vila Nova da Barquinha. Foi oficial do Exército, tendo cumprido comissões em Angola, Moçambique e Guiné, e é investigador de História Contemporânea de Portugal. No catálogo da Porto Editora, sob o pseudónimo literário de Carlos Vale Ferraz, figuram os seus romances A Última Viúva de África, Prémio Literário Fernando Namora/2018, Nó Cego, uma obra de referência obrigatória na ficção portuguesa sobre a guerra colonial, e Que Fazer Contigo, pá?.

 

 

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK