2019-05-07

«Não faças perguntas. Agradece sempre. Agradece o beijo.»

Romance de Ana Zanatti regressa às livrarias com chancela Porto Editora.

Partilhar:

Agradece o Beijo é um dos mais conhecidos livros de Ana Zanatti, um romance sobre liberdade numa época de submissão que regressa às livrarias a 9 de maio, numa edição da Porto Editora.


Recuando até aos anos do Estado Novo, em Agradece o Beijo acompanhamos o crescimento de uma rapariga no seio de uma família conservadora e patriarcal, a quem direitos e liberdades vão sendo negados. Até que ela começa a questionar essa realidade. A seu lado encontramos outras histórias de luta contra a repressão, no amor e na sexualidade, histórias que nos levam aos dias de hoje e a preconceitos que sobrevivem às gerações.

«Um livro supreendente e corajoso», como disse Lídia Jorge, que, a partir do retrato da mulher portuguesa dos últimos 50 anos, levanta questões sobre sexualidade, identidade de género e amor.

SINOPSE

Porta-te bem. Não chores. Não rias alto. Sê educada. Sê respeitadora. Sorri. Deixa-te ser levada. Sê discreta. Sê dócil. Finge acreditar. Não faças ondas. Faz o que te mandam. Deixa-te guiar. Não faças perguntas. Agradece sempre. Agradece o beijo. Agradece o riso. Agradece o abuso. Mantém o sorriso. Agradece a esmola. Pede-me perdão. Foge do prazer. Não faltes à missa. Olha para o altar. Quero-te submissa.

Quando Luísa nasce, em meados do século XX, Portugal é um país cinzento que vive mergulhado numa ditadura responsável por, entre outras coisas, restringir a liberdade feminina. Num mundo de homens, algo tão simples como falar e amar livremente não é permitido às mulheres. No entanto, as amarras que tal sociedade impõe não chegam ao pensamento de Luísa que, ao longo do tempo, refletirá sobre o que vê e sobre os que a rodeiam; sobre a submissão da mãe num casamento que vive de aparências; sobre a amizade com a pequena Catarina e a descoberta do mundo; sobre a prisão de Íman no seu corpo de homem. À voz de Luísa juntar-se-ão as das outras personagens, formando assim um conjunto de histórias reveladoras dos vários mundos interiores que se desenvolvem e coexistem no mais fundo de cada um.

Num romance que retrata a realidade de uma época difícil da história portuguesa, Ana Zanatti tece com mestria um enredo que recorda o leitor não só da intemporalidade do amor e do desejo de liberdade, mas também das correntes que durante muito tempo prenderam as vontades individuais sob o poder de uma autoridade profundamente machista. Agradece o Beijo é, por isso, um pertinente retrato do passado com os olhos postos no presente e no caminho que ainda importa trilhar no futuro.

A AUTORA

Ana Zanatti nasceu em Lisboa em 1949. Ao longo de 47 anos tem exercido a atividade de atriz no teatro, cinema e televisão e foi, em simultâneo, durante 26 anos, apresentadora da RTP. Autora e coautora de canções, programas de rádio e televisão, documentários e séries, tradutora de peças de teatro, publicou o primeiro romance em 2003. Tem contos e poemas publicados em diversas antologias e colaborou com jornais e revistas, desde o extinto semanário SETE à revista literária Os meus livros, e às revistas Biosofia, Elle e Egoísta, entre outras. Dedica-se a causas como a Condição Feminina (em 1984 foi uma das 25 mulheres escolhidas para representar Portugal, em Bruxelas, pela Comissão da Condição Feminina da CEE), Defesa dos Direitos LGBT, Conservação da Natureza e Defesa do Ambiente, Defesa dos Direitos Humanos e dos Animais. Recebeu os Prémios Rede Ex Aequo em 2009 e 2012 e o Prémio Arco-Íris em 2011. O Sexo Inútil (Sextante Editora) é o seu livro mais recente.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK