2018-05-29

Luis Sepúlveda regressa à Feira do Livro de Lisboa este fim de semana

Escritor volta a marcar presença na grande festa do livro numa altura em que é lançada a nova edição do seu Os piores contos dos irmãos Grim, escrito com Mario Delgado Aparaín.

Partilhar:

Luis Sepúlveda promete revelar quem são os irmãos Grim (não confundir com os irmãos Grimm alemães) já este fim de semana, na Feira do Livro de Lisboa, altura em que chega às livrarias uma nova edição de Os piores contos dos irmãos Grim, que o escritor chileno assina com o seu amigo escritor uruguaio Mario Delgado Aparaín.

São estes dois eternos payadores os responsáveis por um romance delirante e inclassificável, repleto de humor, um atentado à seriedade dos leitores mas, ao mesmo tempo, também um retrato precioso dos costumes sul- -americanos no início do século XX. Obra tão séria que, assim esperam os seus autores, só pode levar o infeliz leitor a desfazer-se às gargalhadas.

SINOPSE

Os irmãos Grim – gémeos, na realidade – terão sido dois tipos que passaram pelo Chile e pelo Uruguai sem que das suas vidas e obras ficassem mais do que retalhos aleatórios, num todo confuso e até boateiro, que os reduziu aos seus piores contos. Por sorte, para os amantes das sagas gauchescas e da poesia a cavalo, Luis Sepúlveda e Mario Delgado Aparaín conseguiram assinar a tempo esta crónica que retrata as misteriosas origens e a efémera passagem pelas terras do Sul do mundo dos gémeos Grim, trovadores crioulos, músicos iconoclastas, poetas autodidatas e cantores de uma realidade que, devido à escassa transcendência do seu legado, continua hoje a ser um mistério que subjuga os viajantes.

OS AUTORES

Luis Sepúlveda nasceu em Ovalle, no Chile, em 1949. Da sua vasta obra (toda ela traduzida em Portugal), destacam-se os romances O Velho que Lia Romances de Amor e História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar. Mas Mundo do Fim do Mundo, Patagónia Express, Encontros de Amor num País em Guerra, Diário de um Killer Sentimental ou A Sombra do que Fomos (Prémio Primavera de Romance em 2009), por exemplo, conquistaram também, em todo o mundo, a admiração de milhões de leitores. Em 2016 foi galardoado com o Prémio Eduardo Lourenço.

Mario Delgado Aparaín nasceu em Florida, no Uruguai, em 1949. Escritor, professor, jornalista e gestor cultural, é autor de vários livros de contos e romances, dos quais se destacam: Las Llaves de Francia, Querido Charles Atlas y Otras Historias Terribles, El Canto de la Corvina Negra, A Balada de Johnny Sosa (editado em Espanha em 1987 e traduzido no Brasil, Holanda, França, Itália, Alemanha, Portugal e Grécia), Alivio de Luto (adaptado ao cinema em 2017 com o título Otra Historia del Mundo) e Tango del Viejo Marinero. Finalista do Prémio Internacional Alfaguara e do Prémio Rómulo Gallegos (1998), recebeu ainda o Prémio Municipal de Literatura, Montevideu (1987), o Prémio Foglia de Novela (1990) e o Prémio Bartolomé Hidalgo (2005).

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK