2021-11-22

Inédito: Diários de Salazar  reunidos e disponíveis em ebook     

Parceria entre a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas e a Porto Editora permite facilitar acesso a conteúdo fundamental para a História de Portugal do Século XX. 

Partilhar:

Na Torre do Tombo, incluídos no designado Arquivo de Salazar, estão 72 livros ordenados cronologicamente, que conservam e consignam informação sobre a vida de António Oliveira Salazar, desde o dia 1 de janeiro de 1933 até ao dia 6 de setembro de 1968. Apesar de estarem disponíveis online, as mais de 6500 páginas manuscritas digitalizadas são de muito difícil consulta e estudo, em virtude da caligrafia de António Oliveira Salazar.

Mas agora, fruto do trabalho de interpretação e transcrição realizado, durante uma década, pela arquivista Madalena Garcia — que foi responsável pela inventariação do Arquivo de Salazar — e do investimento editorial e tecnológico da Porto Editora durante mais de um ano, este conteúdo de incontestável relevância histórica está reunido no ebook com o título Diários de Salazar, numa edição em parceria com a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB).

Todas as entradas e apontamentos escritos por António Oliveira Salazar (e a sua secretária) ao longo de 13 mil dias estão, enfim, devidamente legíveis, de fácil consulta e pesquisa. A importância desta edição é ainda sublinhada pelo facto de incluir um índice onomástico com mais de 4600 entradas e mais de 1336 notas explicativas, essencialmente biográficas.

Com a publicação de Diários de Salazar, pretende-se facilitar a historiadores e investigadores — mas também, e desejavelmente, a um número mais vasto de cidadãos — o acesso a um espólio documental de grande relevância histórica e política, fundamental para ajudar a compreender o Portugal do século XX.

A sessão de apresentação está agendada para o dia 10 de dezembro, pelas 18:00, no Auditório do Arquivo Nacional da Torre do Tombo (Lisboa), com apresentação do jurista e historiador António Araújo e a participação de Madalena Garcia e do diretor-geral da DGLAB, Silvestre Lacerda.

SOBRE O EBOOK

• Reúne os 72 cadernos manuscritos e designados por António Oliveira Salazar como «Diários»;
• Disponibiliza informação de 1 de janeiro de 1933 a 6 de setembro de 1968 – sensivelmente 13 mil dias;
• Mais de 6500 páginas de texto transcritas;
• Mais de 1 670 000 palavras transcritas;
• Mais de 4600 entradas no índice onomástico;
• Mais de 1300 notas biográficas;
• Mais de 60 mil referências a datas;
• Mais de 1 580 000 linhas de código necessárias à criação do ebook (para referência, Os Maias têm cerca de 8 000 linhas de código).

SOBRE MADALENA GARCIA

Maria Madalena Arruda de Moura Machado Garcia nasceu em 1948, na ilha de São Miguel, Açores. É uma arquivista licenciada em História pela Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa e pós-graduada com o Curso de Bibliotecário-Arquivista pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
Foi Diretora de Serviços de Arquivística no Instituto Português de Arquivos (1988-1992), responsável pelo Projeto da UNESCO e do Conselho Internacional de Arquivos do Guia de Fontes para a História das Nações (1988-1992) (1996-1998) e Subdiretora do Instituto dos Arquivos Nacionais /Torre do Tombo (1998-2001). Integrou a Comissão para Reforma e Reestruturação do Arquivo Nacional da Torre do Tombo (1987-1989) e a Comissão encarregada da elaboração da Lei de Bases do Património Cultural Português.
Em junho de 1993 foi agraciada com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.