2017-08-22

Discriminação e preconceito nas nossas edições? Não, de todo.

A Porto Editora recusa as acusações de que foi alvo.

Partilhar:

A propósito das nossas edições Bloco de Atividades para Meninas e Bloco de Atividades para Rapazes, surgiram acusações de sexismo e discriminação, bem como a de a edição para meninas apresentar um grau de dificuldade menor.


Estas edições, publicadas em julho de 2016, têm como objetivo desenvolver determinadas competências essenciais em idade pré-escolar, nomeadamente a atenção e a concentração. Foram concebidas com cuidado editorial e pedagógico, apresentando um trabalho gráfico apelativo que procura envolver e motivar os mais novos a adquirir e consolidar as aprendizagens.

Em ambas as edições são trabalhadas as mesmas competências, na mesma sequência e com exercícios semelhantes. A diferença está na ilustração e na abordagem artística que as diferentes ilustradoras fizeram. E se há um exemplo em que o exercício no caso das meninas é aparentemente mais fácil, há vários outros em que os exercícios são aparentemente mais difíceis.

Compreendemos a preocupação que estará na origem desta polémica, pois também nós, na Porto Editora, nos identificamos com os valores da igualdade e da diversidade. O nosso catálogo reflete isso mesmo e, importa sublinhar, temos edições similares que propõe outras abordagens – por idade, por tema, entre outras.

Contudo, afirmamos que estas publicações não refletem uma visão discriminatória e preconceituosa, com a qual, obviamente, não nos identificamos.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK