2019-05-31

Até onde vai uma mãe para encontrar a filha?

Diz-me que és minha é o thriller de estreia da sueca Elisabeth Norebäck.

Partilhar:

Diz-me que és minha é o surpreendente livro de estreia da sueca Elisabeth Norebäck: ainda antes de chegar às livrarias, os direitos de publicação deste thriller psicológico já estavam vendidos para 27 países. Em Portugal, é publicado pela Porto Editora a 6 de junho. Stella, a protagonista, perde a sua filha durante um passeio na praia. Vinte anos depois, conhece uma rapariga que tem semelhanças com a criança que desapareceu. Mas será mesmo ela? Com uma trama inquietante e reviravoltas inesperadas, este é um thriller sobre a busca da verdade e que põe em causa o que é realidade ou alucinação.


SINOPSE

«Eu enterrei-te. Estivemos junto à tua lápide no cemitério. Chorámos e despedimo-nos.
Mas eu nunca deixei de te amar. Procurei-te em todas as multidões, em todos os rostos, em todos os autocarros, em todas as ruas. Ano após ano.»


Stella Widstrand é uma psicoterapeuta respeitada. Casada com um homem carinhoso, mãe de um rapaz de 13 anos, com uma casa invejável e um bom carro, parece ter tudo para ser feliz. Porém, há no seu passado um terrível acontecimento que nunca foi verdadeiramente superado. Quando um dia Stella vê entrar no seu consultório a jovem Isabelle, suspeita de que se trata na realidade de Alice, a sua filha desaparecida durante um passeio em família cerca de vinte anos antes, e que todos julgavam morta.
Mas será realmente a filha de Stella? Estará a imaginação a pregar-lhe mais uma partida? Como poderá confirmar tal suspeita sem que a considerem louca? E se Isabelle for mesmo a sua filha, o que lhe aconteceu afinal? Como desapareceu? Para obter respostas, Stella inicia uma busca obsessiva pela verdade, colocando em risco a vida que levou vinte anos a construir.
Elisabeth Norebäck estreia-se na escrita com um thriller psicológico inquietante que evoca o amor maternal e o maior medo que uma mãe pode sentir: o da perda de um filho. Em Diz-me que és minha, o leitor assiste à luta entre prudência e loucura, passado e presente, ilusão e realidade, mas sobretudo entre vida e morte.

NA IMPRENSA

«Esteja preparado para não ser capaz de largar este livro.»
Blekinge Läns Tidning (Suécia)

«Uma história extremamente intrigante sobre o amor obsessivo de uma mãe, o luto e a culpa.»
Nederlands Dagblad (Holanda)

«Muito empolgante: destinado ao grande ecrã!»
Peterborough Telegraph (Reino Unido)

«O livro de estreia de Norebäck, Diz-me que és minha, é um arrepiante thriller psicológico de dimensões nunca vistas.»
Bygdebladet (Noruega)

A AUTORA

Elisabeth Norebäck vive em Estocolmo com o marido e os três filhos.
Tem um Mestrado em Engenharia pelo KTH Royal Institute of Tecnology.
Diz-me que és minha é o seu primeiro livro. Durante a licença de maternidade, Elisabeth Norebäck imaginou o pior pesadelo de uma mãe: o desaparecimento de um filho. Incentivada pelo marido, começou a escrever e, quase dois anos depois, terminou o livro. Ainda antes do lançamento na Suécia, os direitos de publicação deste thriller psicológico já haviam sido vendidos para 27 países. Em 2018, Diz-me que és minhaa esteve nomeado para o Crimetime Specsavers Award, na categoria de Melhor Estreia do Ano.

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK