2021-09-16

As doenças do Brasil, de Valter Hugo Mãe

Uma história de assombro que homenageia os povos originários do Brasil. 

Partilhar:

No próximo dia 23 de setembro, a Porto Editora faz chegar às livrarias As doenças do Brasil, o novo e muito esperado romance de Valter Hugo Mãe. Quase um ano depois da publicação de Contra Mim, com o qual venceu o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores, e cinco anos depois de Homens Imprudentemente Poéticos, o autor apresenta uma delicada visão de um Brasil passado.

Nas ilhas dos três mares, terras dos gentis abaeté, a “fera branca” não chega senão para guerrear. Das pelejas e das incursões pela larga Amazónia procuram escravos e fortunas, matando todos quantos não podem ser subjugados. Desta violência e do estupro de uma indígena, nasce Honra, que haverá de ser guerreiro branco e ferida sempre visível da história desta comunidade. Até que pelas duas aldeias, um semelhante espírito ímpar aparece. Meio da Noite, negro, rapaz fugido do jugo da escravidão, haverá de ser guerreiro noturno, educado para os modos abaeté por Honra. Juntos crescem e aprendem, “os feios”. Juntos firmam um compromisso para uma ideia de defesa da comunidade.

Numa exuberante aventura das palavras em busca da hipótese de paz, o autor cria uma inesquecível história de resistentes, escrita com a violência e fascínio de um poema que busca o fulgor da realidade. A celebrar 25 anos de edição, As doenças do Brasil é um marco no percurso literário de Valter Hugo Mãe.

Duas grandes sessões de lançamento

No dia 25 de setembro, data do 50.º aniversário do autor, As doenças do Brasil é apresentado em duas sessões de lançamento, marcadas para as 16:30 e 21:30 no Auditório da Super Bock Arena – Pavilhão Rosa Mota.

O jornalista e historiador Laurentino Gomes é o convidado especial da primeira conversa e Pilar del Río, presidente da Fundação José Saramago, partilha o palco com Valter Hugo Mãe na sessão da noite. As duas sessões contam com moderação de Carlos Vaz Marques.

A entrada nos lançamentos é gratuita, embora sujeita a reserva de bilhete na bilheteira do Super Bock Arena ou através do e-mail fsobral@portoeditora.pt.

SOBRE O LIVRO

A "fera branca" quase exterminou os povos originários do Brasil. Ao longo de séculos, os brancos mataram aqueles que não podiam escravizar. A dada altura, em fuga, muitos negros encontraram ao acaso os povos de peles vermelhas e tantas vezes o entendimento e a paz aconteceram.
Valter Hugo Mãe cria para a Literatura atual duas figuras inesquecíveis: Honra e Meio da Noite, rapazes peculiares que, ao abrigo das aldeias gentis dos abaeté, estabelecem uma cumplicidade para certa ideia de defesa.
Honra é fruto da violação de um branco a uma abaeté. Cresce claro, humilhado por uma pele que diz não ser cicatriz daquele golpe porque é ferida. É sempre ferida.
Esta é uma delicadíssima história de resistentes. Exuberante aventura das palavras e da imaginação em busca da hipótese da paz.

SOBRE O AUTOR

É um dos mais destacados autores portugueses da atualidade. A sua obra está traduzida em variadíssimas línguas, merecendo um prestigiado acolhimento em muitos países. Com As doenças do Brasil completa 25 anos de edição e 50 anos de vida. Autor dos romances: Contra mim (Grande Prémio de Romance e Novela - Associação Portuguesa de Escritores); Homens imprudentemente poéticos; A Desumanização; O filho de mil homens; a máquina de fazer espanhóis (Prémio Oceanos); o apocalipse dos trabalhadores; o remorso de baltazar serapião (Prémio Literário José Saramago) e o nosso reino. Escreveu alguns livros para todas as idades, entre os quais: Contos de cães e maus lobos, O paraíso são os outros, As mais belas coisas do mundo e Serei sempre o teu abrigo. A sua poesia encontra-se reunida no volume publicação da mortalidade. Publica a crónica Autobiografia Imaginária, no Jornal de Letras, e Cidadania Impura, na Notícias Magazine.
Com exceção da poesia, que tem chancela Assírio & Alvim, toda a sua obra está publicada pela Porto Editora.