2021-09-14

Ao volante das escolhas infinitas

Porto Editora publica O Prazer de Guiar, de João Pedro Marques. Um romance on the road com destino à autodeterminação.

Partilhar:

Depois de, ao longo da última década, ter vindo a maravilhar os leitores com os seus romances, João Pedro Marques convida-nos a viajar no tempo, desta feita até um futuro próximo. Robôs rececionistas, carros e guarda-chuvas autónomos, táxis gratuitos, ecrãs hologramáticos, tele-sistemas de som, cheiro e imagem… em O Prazer de Guiar tudo isto é já uma realidade. Sintomas da «doentíssima era da normalização computorizada» que serve de pano de fundo a uma reflexão sobre os perigos da desumanização das sociedades e do agrilhoamento das liberdades individuais.

O livro já se encontra em pré-venda e estará disponível nas livrarias a 16 de setembro.
 

 


SOBRE O LIVRO

Raquel e João têm cerca de setenta anos de idade. Amaram-se na juventude e, em tempos idos, foram casados e criaram filhos em conjunto antes de a vida os ter afastado. O Prazer de Guiar é a história do seu reencontro e reaproximação. É, também, simultaneamente, um romance on the road, no qual o casal reencontrado vai viver uma aventura adolescente que lhe reabre os horizontes numa fase tardia da sua existência. O palco da sua aventura é Portugal no ano de 2032, um tempo em que o progresso tecnológico trouxe muito bem-estar, mas em que, paradoxalmente, cerceou as liberdades individuais. Uma época cada vez mais automatizada e robotizada em que o Estado já codificou quase tudo, impôs regras e normas em várias áreas da vida coletiva, mas proibiu muitas coisas, nomeadamente a possibilidade de conduzir nas cidades e principais estradas do país. Serão Raquel e João capazes de lutar por esse direito que lhes foi negado? Terão sucesso no desafio que lançaram às autoridades? E conseguirão contornar ou iludir a opressiva e omnipresente vigilância policial.

SOBRE O AUTOR

Nasceu em Lisboa, em 1949. Foi professor do ensino secundário e, depois, durante mais de duas décadas, investigador do Instituto de Investigação Científica Tropical e Presidente do Conselho Científico desse Instituto, em 2007-2008. Doutorado em História pela Universidade Nova de Lisboa, onde lecionou durante a década de 1990, é autor de dezenas de artigos sobre temas de história colonial, e de vários livros, dois dos quais publicados em Nova Iorque e Oxford (The Sounds of Silence, 2006; e, em coautoria, Who Abolished Slavery? A debate with João Pedro Marques, 2010). Em 2010 a Porto Editora publicou o seu primeiro romance, Os Dias da Febre, ao qual se seguiram, em 2012, Uma Fazenda em África (que, com várias edições, constituiu um dos grandes sucessos do ano), em 2014, O Estranho Caso de Sebastião Moncada, em 2015, Do Outro Lado do Mar, em 2017, Vento de Espanha e, em 2019, A Aluna Americana.