2020-08-28

A crítica do materialismo e a dicotomia entre cidade e campo preenchem estes Dias de outono

José Rodrigues revela como o amor pode ser uma ferramenta para ultrapassar barreiras e reconstruir a felicidade

Partilhar:

No dia 3 de setembro, a Porto Editora faz chegar às livrarias de todo o país Dias de outono, o novo romance de José Rodrigues, acompanhado por fotografias de Sara Augusto, que ilustram cada um dos 30 capítulos, uma parceria estabelecida nos três títulos já publicados pelo autor: O rio de Esmeralda, Voltar a Ti e O tempo nos teus olhos.


Numa obra recheada de personagens verosímeis com histórias de vida intrincadas, o autor explora temas pertinentes e que ocupam a ordem do dia como a institucionalização de idosos e os impactos na vida familiar, as relações disfuncionais ou a admissão de que a felicidade se encontra nos bens materiais e nos meios urbanos.

É através da história de Miguel e Catarina e dos seus filhos, uma família aparentemente perfeita que esconde um casamento degradado, uma adolescência especialmente conturbada e um falhanço profissional, que os leitores são convidados a descobrir uma jornada de salvação que parecia impossível.

Dias de outono já tem apresentações marcadas para Viseu, a 12 de setembro, às 18:30, nos Claustros da Sé, e em Lisboa, no dia 16, também às 18:30, na Bertrand Amoreiras Shopping. No dia 5 deste mês, José Rodrigues estará na Feira do Livro de Lisboa, às 17:00, para uma sessão de autógrafos.

SOBRE O LIVRO

«O sentimento de felicidade pode dar medo. Medo de que, de repente, tudo se desmorone. Que o coração gele, depois de aquecer. Que a pele esfrie, depois de recolher os melhores pedaços do Sol.»

Os dias de Miguel são divididos entre a intensa atividade profissional e o apoio a Teresa, a sua tia, institucionalizada com uma doença irreversível. Na família encontra o conforto dos seus dias agitados, com Catarina e os filhos André e Tiago.
As alterações recentes na administração do banco onde trabalha, a degradação do casamento e os problemas vividos pelo filho adolescente levam Miguel a questionar as opções de vida. Ao mesmo tempo, retoma as memórias mais antigas, incluindo a sua vila no interior e a casa onde nasceu e viveu, criado por Teresa, num ambiente de permanente felicidade.
Quando o mundo de Miguel parece desabar, passado e presente unem-se numa longa jornada de salvação e de mudança de prioridades, onde o amor se transforma no principal caminho para a reconstrução da felicidade, mesmo quando a perda e a saudade pareciam não querer dar tréguas…

CRÍTICA

Gosto tanto de ler José Rodrigues, de ler nas suas histórias uma forma tão única de tornar todas as palavras mais bonitas e de por magia se transformarem em imagens inspiradoras. É de um grande bom gosto, sensibilidade e de uma profundidade que me deixa sempre um brilho no olhar. Escreve com o coração e com a paixão que nos leva numa viagem de cores ao sabor da emoção que lhe escorre da caneta.
Cuca Roseta

SOBRE O AUTOR

Com formação superior na área da Gestão e carreira como consultor empresarial e formador. É socio fundador da Visar, onde desenvolve toda a sua atividade profissional, em especial na área dos seguros.
A família e os amigos, o karaté e o futebol veterano complementam o enorme gosto pela escrita.

 

Este site utiliza cookies para lhe proporcionar uma melhor experiência de navegação. Ao navegar estará a consentir a sua utilização. Saiba mais sobre a nossa política de privacidade. Tomei conhecimento e não desejo visualizar esta informação novamente.

OK