2021-12-01

2021 em dez palavras

Até 31 de dezembro, está aberta a votação para eleger a PALAVRA DO ANO®

Partilhar:

São agora conhecidas as candidatas a PALAVRA DO ANO® 2021. Numa lista fortemente marcada pela realidade pandémica e pelos seus impactos no tecido económico e social, há ainda espaço para as questões políticas que marcaram este ano.

Construída com base nas sugestões feitas através do site www.palavradoano.pt, nas pesquisas efetuadas no Dicionário da Língua Portuguesa em www.infopedia.pt e no trabalho permanente de observação e acompanhamento da realidade da língua portuguesa, levado a cabo pela Porto Editora, esta lista de dez palavras contribui para traçar um retrato dos acontecimentos que vão marcando a vida coletiva do país.

A votação decorre até ao último segundo do dia 31 de dezembro em www.palavradoano.pt e a grande vencedora será divulgada nos primeiros dias de janeiro de 2022.

 

 

 


APAGÃO
Este termo foi usado para descrever o período em que milhões de utilizadores ficaram sem acesso às principais redes sociais, com impacto social e económico a nível mundial.

BAZUCA
Esta palavra foi utilizada pelo primeiro-ministro António Costa para designar o pacote de ajuda europeu destinado a fomentar a recuperação da economia, na sequência da pandemia.

CRIPTOMOEDA
As moedas virtuais encriptadas multiplicam-se e crescem em popularidade e valor, o que tem levado vários países a estudar mecanismos de regulamentação das mesmas.

MOBILIDADE
O agravamento do trânsito automóvel (especialmente nos centros urbanos) e a preocupação com a sustentabilidade e acessibilidade dos transportes originaram múltiplos debates sobre a mobilidade.

MORATÓRIA
Criadas pelo governo em março de 2020, as moratórias de crédito ajudaram muitas famílias e empresas afetadas pelo impacto da pandemia da COVID-19.

ORÇAMENTO
A rejeição da proposta de orçamento do Estado para 2022 no Parlamento levou o Presidente da República a dissolver a Assembleia, convocando eleições antecipadas.

PODCAST
O podcast ganhou popularidade entre os portugueses e têm-se multiplicado os novos conteúdos difundidos neste formato.

RESILIÊNCIA
O impacto da pandemia na saúde, economia e bem-estar, a par das sucessivas medidas tomadas no seu combate, colocaram à prova a resiliência dos portugueses.

TELETRABALHO
Tradicionalmente associado a empresas do setor tecnológico, o teletrabalho foi determinante para assegurar a continuidade de diversas atividades económicas no contexto pandémico.

VACINA
Desenvolvidas em tempo recorde, as vacinas tornaram-se a maior arma contra a COVID-19 e Portugal é um dos líderes mundiais na sua inoculação.

 

 

 

 

 

ACONTECIMENTOS EM ANGOLA REFLETIDOS NAS CANDIDATAS A PALAVRA DO ANO® 2021

 


À semelhança do que acontece em Portugal com a Porto Editora, a Plural Editores Angola faz a monitorização e acompanhamento dos acontecimentos e da realidade local e, por isso, a lista de candidatas inclui vocábulos como «inflação», «seca» (a pior das últimas quatro décadas) ou «zungueira». É de notar que, pelo segundo ano consecutivo, as palavras «agricultura» e «manifestação» marcam presença entre as dez finalistas.

Em Angola, esta votação decorre também até 31 de dezembro através do site www.palavradoano.co.ao e a vencedora será divulgada nos primeiros dias de 2022.

AGRICULTURA
O governo reforça a aposta no desenvolvimento da agricultura, anunciando programas de financiamento e empréstimos com juros bonificados para o sector privado.

CESTA BÁSICA
A subida generalizada dos preços teve impacto na cesta básica, cujo custo foi subindo mensalmente, obrigando o governo a tomar medidas para minimizar o impacto da inflação.

CRIME
O sentimento de insegurança tem crescido por todo o país e especialmente em Luanda, onde a taxa de criminalidade aumentou ao longo do ano.

INFLAÇÃO
O aumento da inflação teve impacto na economia, fazendo subir os preços em geral, incluindo os do arroz, carne de porco, grão de milho, leite em pó e outros da cesta básica.

LIXO
Os vários meses passados sem recolha de lixo em Luanda apresentaram sérios riscos para a saúde pública e provocaram o descontentamento da população.

MANIFESTAÇÃO
Foram muitas as manifestações de protesto ao longo do ano, por motivos tão diversos como algumas medidas governamentais, os direitos civis e o valor das propinas do ensino superior.

PRIVATIZAÇÃO
O governo anunciou a privatização de 100 empresas até ao final do ano, em vários sectores como a banca, agricultura, turismo e telecomunicações.

SECA
A pior seca das últimas quatro décadas está a deixar perto de 2 milhões de pessoas com dificuldade de acesso a alimentos no sul do país.

VACINA
O número de pessoas a tomar a vacina contra a COVID-19 aumentou por todo o país, causando enormes filas de espera à porta dos centros de vacinação.

ZUNGUEIRA
Estas mulheres, que dependem do comércio ambulante para obter sustento, queixam-se da perseguição e modo de atuação dos fiscais.

A iniciativa PALAVRA DO ANO® decorre também em Moçambique, com as dez candidatas a serem conhecidas a 27 de dezembro e a grande vencedora a ser anunciada em fevereiro de 2022.