Portugal e Brasil em Viagem no Teatro Viriato

 

Depois de Vila Real, Viseu recebeu mais uma excelente sessão da Viagem Literária, juntando dois grandes conversadores: Francisco José Viegas e José Paulo Cavalcanti Filho.

A sessão prometia ficar marcada pela "presença" de Fernando Pessoa, nome maior da Língua Portuguesa que junta as biografias dos dois convidados (Francisco José Viegas dirigiu a Casa Fernando Pessoa e José Paulo Cavalcanti Filho seguiu e biografou a vida do Poeta), e assim foi. José Paulo Cavalcanti Filho contou, em momentos recheados de humor e boa disposição, alguns episódios dos oito anos de trabalho gastos para escrever "Fernando Pessoa: uma quase-autobiografia". Entre estes episódios, o biógrafo de Pessoa revelou como seguiu um "fantasma" de Pessoa pelas ruas de Lisboa. O "fantasma" de Pessoa foi também referido por Francisco José Viegas, que enquanto foi diretor da Casa Fernando Pessoa se teve de debater com uma questão aparentemente simples: fechar ou não fechar a porta do quarto do Poeta? Nesta sessão entre dois grandes conversadores, houve ainda tempo para Francisco José Viegas revelar a origem do seu “O Colecionador de Erva” e a razão pela qual escreve policiais.

Após os mais de 90 minutos de conversa, as questões colocadas pelo público contaram ainda com a participação inesperada do presidente da Câmara Municipal de Viseu, António Almeida Henriques.

A Viagem Literária segue agora para a cidade da Guarda, a 8 de julho, no Teatro Municipal da Guarda. Francisco José Viegas viaja novamente connosco e na sua companhia terá José Rentes de Carvalho, um extraordinário escritor português, muitíssimo popular na Holanda, onde vive há mais de meio século, que Viegas redescobriu e devolveu aos portugueses já depois de Rentes de Carvalho fazer 80 anos.

 

5 de abril de 2015