Francisco José Viegas e José Rentes de Carvalho na Guarda


A Viagem Literária segue até à cidade mais alta do país, já no dia 8 de julho, para uma sessão no Teatro Municipal da Guarda.


Depois da paragem no Teatro Viriato, em Viseu, a Viagem Literária continua e a próxima etapa leva este evento itinerante até à cidade da Guarda (no Teatro Municipal da Guarda), a 8 de julho, à boleia de dois grandes nomes da literatura nacional: Francisco José Viegas e José Rentes de Carvalho.

Moderados por João Paulo Sacadura, o palco do Teatro Municipal da Guarda recebe os dois autores para uma conversa de 90 minutos, sem guião, mas que certamente passará pela literatura, por assuntos da atualidade e pela proximidade entre os dois convidados. Para além do ofício da escrita, estes dois autores partilham uma curiosa ligação: para além de ser seu editor (na Quetzal), foi também Francisco José Viegas quem redescobriu e publicou a obra de Rentes de Carvalho em Portugal, que já gozava de um enorme prestígio e popularidade na Holanda, onde residia.

 

Durante a tarde de dia 8 de julho está ainda prevista a realização de uma curta conferência de imprensa, a fim de proporcionar à comunicação social um contacto direto com os autores – sem constrangimentos de horários tardios, sessões de autógrafos ou cansaço.

Francisco José Viegas é responsável pela revista Ler e foi também diretor da revista Grande Reportagem e da Casa Fernando Pessoa. Da sua obra constam livros de poesia e romances como “Regresso por um Rio”, “Um Céu Demasiado Azul”, “Um Crime Capital”, “Longe de Manaus” (Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores 2005) e “O Colecionador de Erva”.


Nascido em 1930, José Rentes de Carvalho viveu muita da sua vida fora de Portugal, depois de ter sido obrigado a abandonar o país por motivos políticos. Viveu no Brasil, Nova Iorque e Paris. Em 1956 passou a viver em Amesterdão. Licenciou-se (com uma tese sobre Raul Brandão) na Univ. de Amesterdão, onde foi docente de Literatura Portuguesa, entre 1964 e 1988. Dedica-se desde então exclusivamente à escrita e a uma vasta colaboração em jornais portugueses, brasileiros, belgas e holandeses, além de várias revistas literárias. A sua bibliografia inclui romances, contos, diário, crónica e guias de viagem. O seu “Portugal, een gids voor vrienden” (“Portugal, Um Guia para Amigos”), de 1988, esgotou dez edições. “Com os Holandeses”, publicado originalmente em neerlandês, em 1972, e um sucesso editorial na Holanda foi a primeira obra de J. Rentes de Carvalho no catálogo da Quetzal.


Durante a tarde de dia 8 de julho está ainda prevista a realização de uma curta conferência de imprensa, a fim de proporcionar à comunicação social um contacto direto com os autores – sem constrangimentos de horários tardios, sessões de autógrafos ou cansaço.


Depois da sessão com Francisco José Viegas e José Rentes de Carvalho, na Guarda, a Viagem Literária segue o seu percurso rumo a Castelo Branco, com dois grandes escritores internacionais. No dia 1 de agosto, o angolano José Eduardo Agualusa e a espanhola Rosa Montero são os convidados para ocupar o palco do Cine-Teatro Avenida.


Até setembro de 2016, esta iniciativa vai percorrer mais 12 capitais de distrito e as duas capitais das Regiões Autónomas, levando os escritores ao encontro dos seus leitores, contribuindo para a descentralização e democratização do acesso à cultura. Em cada cidade estarão à conversa dois escritores, com moderação do jornalista João Paulo Sacadura. Os espaços em que decorrerão as sessões serão, preferencialmente, os teatros municipais, por forma a permitir a participação de centenas de leitores, e os bilhetes serão gratuitos.

 

19 de junho de 2015