Bruno Vieira Amaral e Gonçalo M. Tavares encerram as viagens de 2015 em Faro


O Teatro das Figuras, em Faro, foi o palco para a última etapa de 2015 da Viagem Literária. “Torcicolologos”, cadernos e leituras foram alguns dos temas abordados pelos dois convidados.


Última etapa de 2015, nona paragem e mais de 800 km no conta-quilómetros da Viagem Literária: foi este o balanço provisório à entrada da sessão em Faro. Nesta última paragem, a partida foi feita do Teatro das Figuras, à boleia de Gonçalo M. Tavares e de Bruno Vieira Amaral.

João Paulo Sacadura conduziu a conversa entre estes dois vencedores do Prémio Literário José Saramago, com o qual “As primeiras coisas”, romance de estreia de Bruno Vieira Amaral, foi recentemente distinguido.


A propósito do Prémio José Saramago, João Paulo Sacadura explorou as diferenças e semelhanças entre a relação destes dois autores com as suas primeiras obras, com Gonçalo M. Tavares a sublinhar a sua necessidade de sentir um desfasamento entre o ato de escrever e o ato de publicar, o que levou à referência aos seus já célebres “cadernos”.


Autor de “Aleluia”, “Guia Para 50 Personagens da Ficção Portuguesa” e “As primeiras coisas”, Bruno Vieira Amaral falou da sua relação com os livros e a leitura. “Lia muito, mas não livros”, recordou, arrancando gargalhadas ao público quando recordou a sua primeira experiência de requisição de livros na biblioteca. “Os livros eram uma coisa preciosa e deixavam-nos levá-los para casa”. Leitor involuntário de “Os Maias”, (“pensava, na altura, que era sobre a civilização da América do Sul”), Bruno Vieira Amaral falou ainda sobre a receção a “As primeiras coisas” e a revelou ter iniciado a escrita do seu segundo romance logo após a conclusão de “As primeiras coisas”, como forma de lidar com as pressões acrescidas que pudessem advir das críticas.


Já no final, questionado sobre os títulos das suas obras, Gonçalo M. Tavares explicou a origem do título do seu mais recente “O Torcicolologologista, Excelência”. Para Gonçalo M. Tavares, “O Torcicolologologista” surge quando não se recebem as palavras diretamente, mas sim “de lado” e de outras perspetivas para que possam daí surgir novas interpretações e diferentes entendimentos, o que pode dar origem aos “torcicolos” de palavras.


Na estrada desde 25 de Abril de 2015, a Viagem Literária iniciou-se no distrito de Bragança e passou já por nove distritos, sempre à boleia de grandes autores e com uma excelente afluência de público. Em 2016, a Viagem recomeça nas Ilhas, com uma primeira paragem no Funchal, no dia 23 de janeiro.

 

12 de janeiro de 2016