Tolentino Mendonça e Valter Hugo Mãe encantaram no Funchal

Edição n.º 19, janeiro de 2016

A sessão do Funchal da Viagem Literária, uma iniciativa descentralizadora da Porto Editora, que ao longo de 18 meses se propõe levar grandes escritores a 18 cidades portuguesas, ficará durante muito tempo na memória das quatro centenas de pessoas que esgotaram o Teatro Municipal Baltazar Dias para ouvirem José Tolentino Mendonça e Valter Hugo Mãe.

Ambos poetas e, curiosamente, nascidos os dois em Angola, Tolentino Mendonça e Valter Hugo Mãe abordaram – por via da excelente moderação de João Paulo Sacadura – de forma intensa aspetos biográficos e detiveram-se brilhantemente em assuntos de cariz espiritual, filosófico e literário.

Valter Hugo Mãe começou por falar da ligação que tem a São Bento e à espiritualidade, mas também contou vários episódios divertidos dos seus conturbados tempos de advogado.

Tolentino Mendonça, filho de um pescador que sempre foi o seu herói, narrou as campanhas no barco do pai e explicou como era o seu espanto perante o mundo. A esse abandono ao que nos é dado, o poeta chamou felicidade. E evocou os pais, que, sabe-se lá com que força, o pouparam à desesperança no mundo, no futuro, oferecendo-lhe uma enorme crença no amanhã.

Valter Hugo Mãe, esclareceu, em resposta a uma questão do moderador, que nunca quis ser padre, mas afirmou que desejava ser santo. Segundo Tolentino Mendonça, Valter Hugo Mãe «está a caminho da santidade». O padre, poeta e professor universitário esclareceu, ainda de forma bem-humorada, que Valter «não tem hipótese de não ser santo». Muito mais se disse nesta sessão, que a Porto Editora em breve disponibilizará em formato vídeo no Youtube e no site da Viagem Literária, em www.portoeditora.pt/viagemliteraria.

Depois do sucesso da sessão do Funchal, a Viagem cruza o Atlântico para efetuar a última paragem nas Regiões Autónomas.

Em Ponta Delgada, o emblemático Coliseu Micaelense recebe, no dia 20 de fevereiro, um nome que conhece bem: Sérgio Godinho, habituado a pisar palcos de grandes salas ao longo de uma carreira de cantautor com mais de 40 anos, partilha com o público a sua faceta de escritor, com 4 livros publicados. A viajar com o cantautor estará Valter Hugo Mãe, um dos mais destacados escritores portugueses da atualidade. Recentemente incluído entre os finalistas do Prémio Oceanos (um dos mais prestigiados do Brasil) e com Contos de cães e maus lobos ainda na bagagem, esta dupla promete uma inesquecível última paragem.

Ao “volante” desta Viagem, o jornalista João Paulo Sacadura conduz as conversas por entre temas da atualidade, as afinidades e diferenças entre os convidados, os seus livros e a literatura. Pelo meio, há ainda espaço para as questões da plateia e, no final, para as já habituais sessões de autógrafos e contacto mais direto com os escritores.

Na estrada desde o dia 25 de abril de 2015, a Viagem Literária cumpriu já mais de metade do seu itinerário, tendo completado 10 etapas e enchido grandes teatros. Depois das paragens na Madeira e Açores, a Viagem Literária segue para Portugal continental e vai continuar a percorrer as capitais de distrito de Portugal até à sua etapa final, em Viana do Castelo, cumprindo a sua missão de levar os escritores ao encontro dos seus leitores, contribuindo para a descentralização e democratização do acesso à cultura.

 
Back to Top