A coleção ideal para trabalhar a Educação Literária agora com novos títulos

Edição n.º 19, janeiro de 2016

São cerca de 70 as obras de referência indicadas nas Metas Curriculares e no Plano Nacional de Leitura que a Porto Editora inclui na coleção Educação Literária. A oferta vai desde o 1.º ao 12.º ano e já estão previstos novos títulos para os próximos meses.

A Porto Editora iniciou, em 2014, a publicação de títulos na coleção Educação Literária, começando pelas obras recomendadas no 1.º ciclo. O objetivo, que se mantém atual, era garantir a todos os alunos e professores o acesso às principais obras de referência, portuguesas e universais, a um preço acessível, num formato cómodo e com a qualidade editorial que estas obras merecem (sendo disso exemplo o investimento em ilustrações apelativas e adequadas a cada faixa etária).

Hoje são mais de 70 os títulos disponíveis e abrangem todo o percurso escolar, desde o 1.º até ao 12.º anos, permitindo, desta forma, o acesso às obras de leitura obrigatória e recomendada pelas Metas Curriculares do Ensino Básico e Secundário e pelo Plano Nacional de Leitura.

As Aventuras de Pinóquio, de Carlo Collodi, O Principezinho, de Antoine de Saint-Exupéry, Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, ou Mensagem, de Fernando Pessoa, são apenas alguns exemplos das várias obras que se podem encontrar na página especial da coleção Educação Literária em www.portoeditora.pt/educacao-literaria.

Com uma organização por ano de escolaridade, nesta página é possível encontrar toda a oferta atualmente disponível para trabalhar este domínio das Metas Curriculares. Mas a Porto Editora já anunciou, para este ano, a publicação de novas edições, pelo que o número de títulos vai, assim, aumentar.

Para além das obras inseridas na coleção Educação Literária, é possível encontrar, nessa mesma página, outras obras de referência e de leitura recomendada, como A Maior Flor do Mundo, de José Saramago, A Menina do Mar, de Sophia de Mello Breyner Andresen, A Pérola, de John Steinbeck, ou A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós..

Recorde-se que a introdução do domínio da Educação Literária nas Metas Curriculares de Português do 1.º ao 12.º ano foi uma das principais novidades introduzidas pelo Ministério da Educação, em 2012. Conforme se pode ler no documento oficial, esta decisão “corresponde a uma opção de política da língua e de política de ensino”, pretendendo, com a Educação Literária, “contribuir para a formação completa do indivíduo e do cidadão”, uma vez que a literatura “veicula tradições e valores e é, como tal, parte integrante do património nacional”.


 
Back to Top